Ir direto para menu de acessibilidade.

Sarampo mata. A vacina é a única maneira de prevenir a doença

    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Ações e Programas
  4. >
  5. Doação e Transplante de Órgãos
  6. >
  7. Sistema Nacional de Transplantes
Início do conteúdo da página

Doação e Transplante de Órgãos

Sistema Nacional de Transplante (SNT)

Escrito por alexandreb.sousa | Publicado: Segunda, 15 de Maio de 2017, 14h40 | Última atualização em Sexta, 18 de Agosto de 2017, 16h17

O Sistema Nacional de Transplantes (SNT) é responsável pelo controle e monitoramento do processo doação de órgãos e tecidos e transplantes realizados no país, com o objetivo de desenvolver o processo de captação e distribuição de tecidos, órgãos e partes retiradas do corpo humano para fins terapêuticos.

Para atingir esse objetivo, o SNT realiza ações de gestão política, promoção da doação, logística, credenciamento das equipes e hospitais para a realização de transplantes, definição do financiamento e elaboração de portarias que regulamentam todo o processo, desde a captação de órgãos até o acompanhamento dos pacientes transplantados. A atuação do SNT tem-se concentrado, sobretudo, na redução do tempo de espera dos pacientes na lista de transplantes e na melhoria da qualidade de vida dos pacientes que hoje aguardam pelo procedimento. O Brasil tem hoje o maior sistema público de transplantes do mundo, no qual cerca de 87% dos transplantes de órgãos são feitos com recursos públicos. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece assistência integral ao paciente transplantado. O Sistema Nacional de Transplantes é integrado pelo Ministério da Saúde, as secretarias de saúde dos estados e do Distrito Federal ou órgãos equivalentes, as secretarias de saúde dos municípios ou órgãos equivalentes, os estabelecimentos hospitalares autorizados e a rede de serviços auxiliares necessários à realização de transplantes. O Ministério da Saúde é o órgão central de coordenação do SNT. Para exercer as atividades pertinentes às unidades federadas, foram criadas a Central de Notificação Captação e Distribuição de Órgãos e Tecidos (CNCDO) em cada UF e vinculadas à Secretaria Estadual de Saúde. A Central Nacional de Transplantes (CNT) executa a articulação com as CNCDO, suas regionais, e com os demais integrantes do Sistema Nacional de Transplantes para a distribuição de órgãos e tecidos entre os estados, em conformidade com a lista nacional de receptores e legislação vigente. Isso garante o melhor aproveitamento e a equidade na sua destinação, também otimizando as condições técnicas e operacionais de transporte e distribuição. Instâncias que integram o SNT

  • Coordenação-Geral do Sistema Nacional de Transplantes (CGSNT);
  • Centrais de Notificação, Captação e Doação de Órgãos e Tecidos (CNCDOs);
  • Central Nacional de Transplantes (CNT);
  • Organizações de Procura de Órgãos (OPOs);
  • Comissões Intra-hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTTs).

Instâncias de natureza consultiva de assessoramento da CGSNT

  • Câmaras Técnicas Nacionais (CTN)
  • Grupo de Assessoramento Estratégico (GAE).

Diretrizes para avaliação e validação do potencial doador de órgãos em morte encefálica O transplante de órgãos é a única alternativa para muitos pacientes portadores de algumas doenças terminais. Ao mesmo tempo, são preocupantes a crescente desproporção entre a alta demanda por transplantes de órgãos e o baixo índice de transplantes efetivados. Dentre as diferentes causas que alimentam essa desproporção, estão os equívocos na identificação do potencial doador de órgãos e as contraindicações mal atribuídas pela equipe assistente. Assim, o presente documento pretende fornecer subsídios à equipe multiprofissional da terapia intensiva para o reconhecimento, a avaliação e a validação do potencial doador de órgãos. Saiba mais em Diretrizes para avaliação e validação do potencial doador de órgãos em morte encefálica.

Fim do conteúdo da página