Ir direto para menu de acessibilidade.

Vacine-se

    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Ações e Programas
  4. >
  5. HumanizaSUS
  6. >
  7. Método e Dispositivos da PNH
Início do conteúdo da página

HumanizaSUS

Método e Dispositivos da PNH

Escrito por Leonardo | Publicado: Quinta, 27 de Julho de 2017, 14h19 | Última atualização em Quinta, 17 de Agosto de 2017, 12h34

Por método entende-se a condução de um processo ou o seu modo de caminhar (meta = fim; hodos = caminho). A PNH caminha no sentido da inclusão, nos processos de produção de saúde, dos diferentes agentes implicados nestes processos.

Podemos falar de um “método de tríplice inclusão”:

  • inclusão dos diferentes sujeitos (gestores, trabalhadores e usuários) no sentido da produção de autonomia, protagonismo e corresponsabilidade. Modo de fazer: rodas;
  • inclusão dos analisadores sociais ou, mais especificamente, inclusão dos fenômenos que desestabilizam os modelos tradicionais de atenção e de gestão, acolhendo e potencializando os processos de mudança. Modo de fazer: análise coletiva dos conflitos, entendida como potencialização da força crítica das crises.
  • inclusão do coletivo seja como movimento social organizado, seja como experiência singular sensível (mudança dos perceptos e dos afetos) dos trabalhadores de saúde quando em trabalho grupal. Modo de fazer; fomento das redes.

Efeitos esperados:

  • Redução de filas e do tempo de espera, com ampliação do acesso;
  • Atendimento acolhedor e resolutivo baseado em critérios de risco;
  • Implantação de modelo de atenção com responsabilização e vínculo;
  • Garantia dos direitos dos usuários;
  • Valorização do trabalho na saúde;
  • Gestão participativa nos serviços.

Dispositivos da PNH

Dispositivo é um arranjo de elementos, que podem ser concretos (ex.: uma reforma arquitetônica, uma decoração, um manual de instruções) e/ou imateriais (ex.: conceitos, valores, atitudes) mediante o qual se faz funcionar, se catalisa ou se potencializa um processo.

Na PNH, foram desenvolvidos vários dispositivos que são acionados nas práticas de produção de saúde, envolvendo coletivos e visando promover mudanças nos modelos de atenção e de gestão:

  • Acolhimento com Classificação de Risco;
  • Equipes de Referência e de Apoio Matricial;
  • Projeto Terapêutico Singular e Projeto de Saúde Coletiva;
  • Projetos Cogeridos de Ambiência
  • Colegiado Gestor;
  • Contrato de Gestão;
  • Sistemas de escuta qualificada para usuários e trabalhadores da saúde: gerência de “porta aberta”; ouvidorias; grupos focais e pesquisas de satisfação, etc.;
  • Visita Aberta e Direito à Acompanhante;
  • Programa de Formação em Saúde do trabalhador (PFST) e Comunidade Ampliada de Pesquisa (CAP);
  • Programas de Qualidade de Vida e Saúde para os Trabalhadores da Saúde;
  • Grupo de Trabalho de Humanização (GTH);
  • Câmaras Técnicas de Humanização (CTH);
  • Projeto Memória do SUS que dá certo.
Fim do conteúdo da página