Ir direto para menu de acessibilidade.

Sarampo mata. A vacina é a única maneira de prevenir a doença

Início do conteúdo da página

GRIPE:QUEM DEVE SE VACINAR?

Triagem nos serviços de saúde

Escrito por Alessandra Bernardes | Publicado: Terça, 23 de Janeiro de 2018, 15h14 | Última atualização em Terça, 23 de Janeiro de 2018, 15h14

Esclarecimento para triagem nos serviços de saúde

O Ministério da Saúde reitera a importância dos serviços de saúde realizarem triagem para a aplicação da vacina febre amarela, visando identificar quais grupos de pessoas poderão ser vacinados.

A vacina febre amarela é segura e eficaz, entre 90% a 98% das pessoas que foram vacinadas com uma única dose, a imunidade (efeito protetor) ocorre em torno de 10 dias após a aplicação e confere proteção por toda a vida. 

A vacina é produzida com vírus vivo atenuado (enfraquecido), e propicia o desenvolvimento de níveis protetores de anticorpos contra a doença por toda a vida.    Para que ocorra esta produção de anticorpos esse vírus enfraquecido se replica no organismo e em algumas pessoas pode ocasionar reações leves (eventos adversos) como dor no local onde foi aplicada a vacina, mal estar e febre. No entanto, em pessoas com o sistema imunológico comprometido a vacina pode causar reações graves e portanto não poderão ser vacinadas, uma vez que no processo de desenvolvimento dos anticorpos há um excesso de replicação do vírus e o seu sistema imunológico não consegue impedir esta replicação, podendo levar a um quadro clínico grave com hemorragias, complicações hepáticas, renais, alterações neurológicas e com risco de evoluir rapidamente para a morte.

Ressalta-se portanto que a vacinação contra a febre amarela só e recomendada para pessoas em áreas onde há evidência de circulação do vírus da febre amarela (caso humano, epizootia em primatas não humanos ou vetores infectados), onde há risco elevado de transmissão da febre amarela ou para viajantes que vão se deslocar para estas localidades.

Sendo assim, a vacinação só deve ser indicada quando a pessoa encontra-se exposta ao risco de infecção pelo vírus da febre amarela, ou seja, nas áreas onde há evidência de circulação do vírus da doença (caso humano, epizootia em primatas não humanos ou vetores infectados).

Dessa forma, é fundamental que no momento da vacinação seja feita a triagem para identificar quem pode ser vacinado, evitando-se assim o aumento de reações graves associados à vacina contra febre amarela.

Vale destacar que o Ministério da Saúde garante que há estoques da vacina de febre amarela suficiente para todas as pessoas que tem indicação de vacinação, não havendo, portanto, necessidade do comparecimento desordenado nas salas de vacinação, a afim de não comprometer o trabalho dos vacinadores e favorecer uma vacinação segura. 

Orientação para as localidades que farão a campanha de vacinação contra a febre amarela

Quem poderá tomar a dose padrão

  • Crianças de 9 meses a menores de 2 anos de idade
  • Gestantes
  • Pessoas que vivem com HIV e que tem contagem de células CD4 maior ou igual 350 células/mm3
  • Pessoas que terminaram tratamento de quimioterapia e radioterapia
  • Pessoas com doenças hematológicas (do sangue)
  • Viajante internacional com comprovação de viagem (ex. boleto de passagem aérea ou terrestre, reserva de hotel, convite para participação em eventos, ou endereço de destino ou permanência).

Quem poderá tomar a dose fracionada

  • Pessoas acima de dois anos de idade que não se enquadrem na lista para receber a dose padrão

Quem deverá ter avaliação dos serviços (tanto para a dose padrão como para a fracionada)

  • Idosos
  • Pessoas que vivem com HIV
  • Pessoas que terminaram tratamento com quimioterapia e radioterapia
  • Pessoas com doenças hematológicas
  • Gestante

Quem não pode tomar a vacina

  • Crianças menores de 6 meses de idade
  • Mulheres amamentando crianças menores de 6 meses de idade
  • Pessoas com alergia grave ovo
  • Pessoas que vivem com HIV e que tem contagem de células CD4 menor que 350 células/mm3
  • Pessoas com imunossupressão secundária a doenças
  • Pessoas na vigência de medicações ou tratamento imunossupressores (quimioterapia, radioterapia, corticoides em altas doses, metrotrexate entre outras).
Fim do conteúdo da página