Ir direto para menu de acessibilidade.

Dia Mundial de Luta Contra a Aids - 30 anos

    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Atenção Especializada e Hospitalar
  4. >
  5. Especialidades
  6. >
  7. Cardiologia / Cirurgia Cardíaca
Início do conteúdo da página

Atenção Especializada e Hospitalar

Cardiologia / Cirurgia Cardíaca

Escrito por alexandreb.sousa | Publicado: Terça, 04 de Julho de 2017, 11h27 | Última atualização em Quarta, 23 de Agosto de 2017, 11h48

A cardiologia é a especialidade responsável por estudar, diagnosticar e tratar as doenças relacionadas ao coração e grandes vasos.  Já a cirurgia cardíaca é a subespecialidade médica que se ocupa do tratamento cirúrgico das doenças que acometem o coração.

DOENÇAS CARDÍACAS

São definidas como doenças do coração ou doenças cardíacas qualquer agravo que dificulte ou impeça a boa circulação sanguínea no organismo.
O coração, que tem como função impulsionar o sangue para o organismo todo, é o principal responsável por uma vida longa e saudável, quando bem cuidado. Os hábitos da sociedade nos dias de hoje, como a má alimentação, sedentarismo, estresse e uso em excesso de substâncias tóxicas como tabaco e álcool, conduzem ao aparecimento de patologias no aparelho cardiovascular. Existe também a possibilidade de o indivíduo nascer com uma patologia cardíaca (congênita) todavia, a maioria das afecções cardíacas é adquirida ao longo dos anos.

As doenças cardiovasculares são mais comuns em indivíduos mais velhos e com histórico familiar. Contudo, isso não significa que pessoas mais jovens e sem histórico na família não possam apresentar estas patologias.

Dentre as principais afecções cardíacas encontram-se o Infarto Agudo do Miocárdio, popularmente conhecido como ataque cardíaco, que se caracteriza por um coágulo que impede por completo a passagem de sangue em parte da câmara cardíaca, especialmente o miocárdio, que geralmente conduz à morte, pois a ajuda médica não chega a tempo de reverter o quadro. Todos os anos, esse agravo mata milhões de pessoas no mundo inteiro.

Outro problema cardíaco muito comum é a insuficiência cardíaca, geralmente resultante de outras afecções do coração, como hipertensão arterial, doença de Chagas, miocardites e doenças valvulares. Caracteriza-se por impedir o fluxo normal do sangue bombeado através das válvulas cardíacas, o que resulta, entre outras coisas, em retenção de líquidos no corpo. Esta é subdividida em quatro tipos: assintomática, leve, moderada e grave. Nesse último caso, é necessária a realização de uma intervenção cirúrgica para que seja feita a correção da anomalia.

As arritmias cardíacas, outro problema cardíaco comum, caracterizam-se por alterações do ritmo ou na frequência dos batimentos cardíacos, podendo ser extremamente lentes, denominados bradicardia, ou exacerbadamente acelerados, conhecidos como taquicardia. Este tipo de agravo é mais comum ao passo que o indivíduo envelhece. Pode ser consequência de outras enfermidades cardíacas, como a corionariopatia, endocardite ou miocardioesclerose, podendo também ser consequência de um infarto ou uso de determinadas drogas ou substâncias (por exemplo, fármacos, álcool, fumo, cafeína).

Outra afecção cardíaca comum é a doença arterial coronária que apresenta como sintoma mais comum a angina, caracterizada por manifestações semelhantes ao enfarte, mas menos intensos e duração inferior (abaixo de 20 minutos). A sintomatologia mais frequente é um aperto no peito que irradia para o braço esquerdo, normalmente acompanhado por falta de ar, sudorese, palidez e náuseas. Esta patologia tem como etiologia o depósito de placas de gordura nas artérias do coração, levando à obstrução desses vasos, fazendo com que o fluxo sanguíneo pare quase completamente. Deste modo, a musculatura cardíaca realiza um maior esforço para bombear o sangue para os tecidos do corpo.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferta diversos tratamentos clínicos, cirúrgicos e de reabilitação na área de cardiologia e de cirurgia cardíaca.  Os procedimentos relacionados a essas especialidades estão incluídos em várias ações e políticas do Ministério da Saúde, devido ao seu extenso campo de atuação. Todos os procedimentos podem ser consultados no Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do Sistema Único de Saúde (SIGTAP/SUS).

ACESSO E REGULAÇÃO

É papel da Atenção Básica a atuação na prevenção dos fatores de risco e proteção para às doenças cardíacas estão relacionadas aos fatores de riscos. Os profissionais de saúde desse nível de atenção devem estar preparados para identificar, por meio da anamnese e do exame clínico, os casos suspeitos e referenciá-los para a Atenção Especializada para investigação diagnóstica.

A Atenção Especializada, por sua vez, é composta por unidades ambulatoriais e hospitalares, que ofertam serviços de apoio diagnóstico e terapêutico responsáveis pelo acesso às consultas e exames especializados, cirurgias, medicamentos e órtese e próteses.

É importante lembrar que, enquanto os serviços prestados pela Atenção Básica devem estar o mais próximo possível do local de residência ou trabalho dos indivíduos, os serviços da Atenção Especializada devem ser ofertados de forma hierarquizada e regionalizada para garantir economia de escala, escopo e qualidade da atenção prestada. Nesse sentido, os serviços prestados pela atenção especializada devem servir de referência para um conjunto de Unidades de Atenção Básica e disponibilizar atendimento mediante encaminhamento por meio de sistemas logísticos, como centrais de regulação.

Logo, o acesso aos serviços especializados é baseado em protocolos de regulação gerenciados pelas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, as quais competem organizar o atendimento dos pacientes na rede assistencial, definindo os estabelecimentos para os quais os pacientes que precisam do cuidado deverão ser encaminhados.

Saiba mais sobre Regulação.
Legislação vigente: Portaria GM/MS nº 1.559, de 1º de agosto de 2008.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página