Ir direto para menu de acessibilidade.

Banner febre amarela sintomas tratamento prenvenção

Início do conteúdo da página

Atenção Especializada e Hospitalar

Gestão

Publicado: Quinta, 20 de Julho de 2017, 14h51 | Última atualização em Terça, 29 de Agosto de 2017, 15h34

O Ministério da Saúde - por meio da Coordenação-Geral de Atenção Especializada, do Departamento de Atenção Especializada e Temática, da Secretaria de Atenção à Saúde (CGAE/DAET/SAS) é o gestor, a nível federal, das ações na Atenção Especializada as pessoas com fissura labiopalatal. Compete ao mesmo definir normas e diretrizes gerais para a organização do cuidado às pessoas com fissura labiopalatal e efetuar a homologação da habilitação dos estabelecimentos de saúde que realizam a atenção à saúde das pessoas com fissura labiopalatal, de acordo com critérios técnicos estabelecidos previamente de forma tripartite.

Além disso oferta apoio institucional às Secretarias de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios no processo de qualificação e de consolidação da atenção ao paciente com fissura labiopalatal, e promove mecanismos de monitoramento, avaliação e auditoria, com vistas à melhoria da qualidade das ações e dos serviços ofertados, considerando as especificidades dos serviços de saúde e suas responsabilidades.

Compete as Secretarias de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios:

  • Planejar e programar as ações e os serviços especializados, assim como o cuidado das pessoas com Fissura labiopalatal, considerando-se sua base territorial e as necessidades de saúde locais;
  • Adotar providências necessárias para o cumprimento das normas estabelecidas na Portaria SAS/MS nº. 62, de 19 de abril de 1994, podendo estabelecer normas de caráter suplementar, a fim de adequá-las às especificidades locais ou regionais;
  • Realizar a regulação entre os componentes da rede de atenção à saúde, com definição de fluxos de atendimento à saúde para fins de controle do acesso e da garantia de equidade, promovendo a otimização de recursos segundo a complexidade e a densidade tecnológica necessárias à atenção à pessoa com fissura labiopalatal.

Veja também

Coleção para entender a Gestão do SUS 2011 – Atualização 2015

 

SAIPS

O Sistema de Apoio à Implementação de Políticas em Saúde (SAIPS) tem o objetivo de aperfeiçoar as solicitações de transferências de recursos financeiros ou credenciamento/habilitação de serviços necessários à implantação de políticas em saúde; permitindo transparência, agilidade, organização e monitoramento das solicitações.

A ferramenta foi desenvolvida para facilitar e agilizar os pedidos de recursos – feito por gestores Municipais, Estaduais ou do Distrito Federal – para custeio, implantação, habilitação ou credenciamento de equipes, unidades e serviços em saúde.

A solicitação de habilitação para o componente Assistência ao paciente com fissura labiopalatal na Alta Complexidade já está disponibilizada no SAIPS (Rede/Programa: Assistência ao paciente com fissura labiopalatal na Alta Complexidade).

Para mais informações, está disponível no endereço eletrônico do SAIPS o Manual Geral sobre Acesso, Cadastramento e Acompanhamento de Propostas (que explica o fluxo geral do sistema, perfis e atividades), os manuais específicos para cada tipo de recurso pleiteado e as dúvidas e perguntas mais frequentes.

Veja também

Manual de habilitação para Assistência ao Paciente com Fissura Labiopalatal

Montagnoli LC. Crescimento de crianças portadoras de fissuras lábio-palatais, de 0 a 2 anos [Dissertação – Mestrado em Puericultura e Pediatria]. Ribeirão Preto: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; 1992.

MOSSEY P.A., LITTLE J. Epidemiology of oral clefts: an international perspective. In: WYSZYNSKI D.F., editor. Cleft lip and palate from origin to treatment. New York: Oxford University Press; 2002. p. 127-58.

Fim do conteúdo da página