Ir direto para menu de acessibilidade.

Vacinação

Início do conteúdo da página

Atenção Especializada e Hospitalar

Desnutrição

Escrito por alexandreb.sousa | Publicado: Segunda, 03 de Julho de 2017, 11h08 | Última atualização em Terça, 04 de Julho de 2017, 11h05

No doente hospitalizado, a desnutrição pode se instalar rapidamente devido ao estado de hipercatabolismo que acompanha as enfermidades, traumatismos e infecções em resposta ao estresse metabólico que ocorre nestas condições, principalmente quando a ingestão nutricional é insuficiente.  
A terapia nutricional tem como principal objetivo prevenir e tratar a desnutrição, preparar o paciente para o procedimento cirúrgico e clínico, melhorar a resposta imunológica e cicatricial, modular a resposta orgânica ao tratamento clínico e cirúrgico, prevenir e tratar as complicações infecciosas e não infecciosas decorrentes do tratamento e da doença, melhorar a qualidade de vida do paciente, reduzir o tempo de internação hospitalar, reduzir mortalidade e, consequentemente reduzir custos hospitalares.

Os indivíduos que mais demandam a terapia nutricional enteral/ parenteral são, além dos desnutridos e os com risco nutricional, aqueles com doenças que resultam na impossibilidade de mastigação e deglutição, bem como o não funcionamento de parte do trato gastrointestinal. Assim, como exemplo, entre outros, salientam-se os indivíduos vítimas de acidente vascular cerebral e câncer de cabeça, pescoço ou esôfago. Outros exemplos de enfermos que demandam este tipo de terapia nutricional são aqueles com doenças neurológicas em estágios avançados, como síndrome de Parkinson e doença de Alzheimer. Frequentemente, nestas situações clínicas, há a indicação de terapia nutricional enteral (TNE) prolongada, sem necessidade de manutenção da internação hospitalar.  

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página