Ir direto para menu de acessibilidade.
Saúde do Viajante
Início do conteúdo da página

Atenção Especializada e Hospitalar

Gestão

Escrito por alexandreb.sousa | Publicado: Segunda, 03 de Julho de 2017, 11h18 | Última atualização em Sábado, 26 de Agosto de 2017, 15h23

O Ministério da Saúde - por meio da Coordenação-Geral de Atenção Especializada, do Departamento de Atenção Especializada e Temática, da Secretaria de Atenção à Saúde (CGAE/DAET/SAS) é o gestor, a nível federal, das ações na Atenção Especializada as pessoas com deficiência auditiva. Compete ao mesmo definir normas e diretrizes gerais para a organização do cuidado às pessoas com deficiência auditiva e efetuar a homologação da habilitação dos estabelecimentos de saúde que realizam a atenção à saúde das pessoas com deficiência auditiva, de acordo com critérios técnicos estabelecidos previamente de forma tripartite.

Além disso oferta apoio institucional às Secretarias de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios no processo de qualificação e de consolidação da atenção ao paciente com deficiência auditiva, e promove mecanismos de monitoramento, avaliação e auditoria, com vistas à melhoria da qualidade das ações e dos serviços ofertados, considerando as especificidades dos serviços de saúde e suas responsabilidades.

Compete as Secretarias de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios:

  • Planejar e programar as ações e os serviços especializados, assim como o cuidado das pessoas com Deficiência Auditiva, considerando-se sua base territorial e as necessidades de saúde locais
  • Adotar providências necessárias para o cumprimento das normas estabelecidas na Portaria GM/MS nº 2.776/2014, podendo estabelecer normas de caráter suplementar, a fim de adequá-las às especificidades locais ou regionais;
  • Realizar a regulação entre os componentes da rede de atenção à saúde, com definição de fluxos de atendimento à saúde para fins de controle do acesso e da garantia de equidade, promovendo a otimização de recursos segundo a complexidade e a densidade tecnológica necessárias à atenção à pessoa com deficiência auditiva.

Veja também

Coleção para entender a Gestão do SUS 2011 – Atualização 2015

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página