Ir direto para menu de acessibilidade.

Movimento Vacina Brasil

    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Últimas notícias
  4. >
  5. SESAI - Notícias
  6. >
  7. DSEI Xavante realiza encontro inédito com parteiras tradicionais
Início do conteúdo da página

DSEI Xavante realiza encontro inédito com parteiras tradicionais

Escrito por Alessandra Bernardes | Publicado: Terça, 23 de Janeiro de 2018, 14h55 | Última atualização em Terça, 23 de Janeiro de 2018, 14h55

Oficina objetiva a valorização e o resgate das práticas tradicionais, do manejo ao parto normal, assegurando a assistência da mulher e da criança indígena

Crédito: DSEI Xavante/Divulgação

sesai 230118

Oficina no DSEI Xavante teve o objetivo de identificar a situação da assistência ao parto domiciliar realizado por parteiras indígenas

O Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Xavante realizou, entre os dias 15 e 19, na aldeia São Pedro (Terra Indígena Parabubure), em Campinápolis (MT), a 1ª Oficina de Troca de Saberes com Parteiras Indígenas. Participaram da iniciativa inédita 57 mulheres indígenas que já realizam partos na comunidade.

O encontro teve como objetivo identificar a situação da assistência ao parto domiciliar realizado por parteiras indígenas, da etnia xavante. A Oficina também teve como intuito a valorização e o resgate das práticas tradicionais do manejo ao parto normal, como uma forma de assegurar melhoria na assistência à saúde da mulher e da criança, contribuindo, assim, para a redução da mortalidade materna e infantil.

Segundo uma das coordenadoras do encontro, a enfermeira responsável técnica pelo programa da Saúde da Mulher, Arielle Costa, a iniciativa foi uma demanda das próprias mulheres das comunidades indígenas. “O treinamento das parteiras é uma atividade que visa reduzir a mortalidade materna, fetal e infantil, a atenção ao parto, nascimento, crescimento e desenvolvimento da criança de 0 a 2 anos. E claro, dessa forma, ampliar a rede de atendimento de saúde da mulher, com a participação efetiva da comunidade, e valorizar seus costumes”, destacou.

O Ministério da Saúde (MS), desde o ano 2000, adota várias iniciativas para melhorar a atenção à gestação, ao parto, ao nascimento e ao puerpério. Entre elas, encontra-se o Programa Trabalhando com Parteiras Tradicionais, que proporcionou a melhoria do parto e nascimento domiciliares assistidos por parteiras tradicionais.

Parteiras tradicionais - O MS define como parteira tradicional aquela que presta assistência ao parto domiciliar, tendo como base saberes e práticas tradicionais, sendo reconhecida pela comunidade como tal. A denominação é usada por considerar que esse termo valoriza os saberes e práticas tradicionais e caracteriza a formação e o conhecimento que essas mulheres detém. As parteiras indígenas estão incluídas entre elas, respeitando as suas especificidades étnicas e culturais para o auxílio na atenção e cuidado às demais mulheres de suas comunidades.

Demais atividades - Durante a oficina, também foram realizadas outras atividades como dinâmicas e palestras para interação das equipes e parteiras. Demais profissionais da Equipe Multidisciplinar de Saúde Indígena (EMSI) ministraram aulas educativas e teóricas, e de fácil entendimento, envolvendo temas como: “o saber do nascer” e o “nascer saudável”, com atividades práticas e lúdicas sobre o assunto. Também houve o espaço – “cinema na oca”, para que os participantes assistissem a filmes diversos.

A 2ª Oficina de Troca de Saberes entre parteiras Indígenas está prevista para o mês de março/2017, contemplando as mulheres da Terra Indígena São Marcos.

 

Por Tiago Pegon, do Nucom Sesai
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3174/3580

Fim do conteúdo da página