Ir direto para menu de acessibilidade.

Dia Mundial de Luta Contra a Aids - 30 anos

    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Últimas notícias
  4. >
  5. Agência Saúde
  6. >
  7. Haiti e Palestina conhecem tecnologia brasileira para tratamento de água
Início do conteúdo da página

Haiti e Palestina conhecem tecnologia brasileira para tratamento de água

Escrito por alexandreb.sousa | Publicado: Segunda, 04 de Dezembro de 2017, 14h43 | Última atualização em Segunda, 04 de Dezembro de 2017, 14h45

Estrangeiros se interessam pelo SALTA-z, desenvolvido pela Funasa, e estudam cooperar com o Brasil para aplicar o projeto em seus países.

Entre os dias 26 de novembro e 1º de dezembro, o Ministério da Saúde, por intermédio da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), realizou o I Congresso Internacional de Engenharia de Saúde Pública e de Saúde Ambiental da Funasa (CIESA), em Belém/PA. O evento reuniu mais de 900 representantes da saúde ambiental do mundo para promover trocas de experiências e tecnologias inovadoras na área da saúde.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, participou do evento e apresentou o projeto inovador chamado “SALTA-z”. Na ocasião, o ministro destacou a importância do projeto para a saúde das populações ribeirinhas e indígenas. “Conhecemos hoje uma solução simples, inovadora, de baixo custo, capaz fornecer água própria para o consumo e, dessa forma, evitar, por exemplo, doenças transmitidas pela água contaminada”, ressaltou Barros.

A tecnologia, desenvolvida pela Funasa, é um procedimento simplificado para realizar a clarificação, filtração e desinfecção em águas de superfície e subterrâneas, com a implantação de solução alternativa coletiva de abastecimento de água potável em situações especiais e excepcionais. Essa iniciativa pode proporcionar acesso a água apta ao consumo para a população de cidades com até 50 mil habitantes.

A iniciativa despertou o interesse de representantes do Ministério da Saúde da Palestina e do Ministério da Saúde Pública e da População do Haiti, que participaram do congresso a convite do Ministério da Saúde brasileiro. Os participantes estrangeiros visitaram a Comunidade Ilha do Maracujá, onde conheceram a "Solução Alternativa Coletiva de Tratamento de Água para Consumo Humano – SALTA-z". Há perspectiva de desenvolvimento de projetos de cooperação técnica em saúde ambiental com ambos os países. A delegação palestina também visitou o Aterro Sanitário de Marituba, localizado na região metropolitana de Belém, onde o lixo recebe tratamento adequado.

Fotos: Divulgação AISA

Palestinos e haitianos conhecem a tecnologia produzida pela Funasa SALTA-z.

COOPERAÇÃO – Atualmente, o Ministério da Saúde possui 79 projetos e atividades de cooperação em saúde em execução em todos os continentes, com destaque para as parcerias com países da África lusófona, da América Latina e do Caribe. Em junho de 2017, em visita do ministro Ricardo Barros a Porto Príncipe, Brasil e Haiti assinaram um novo projeto de cooperação para “Fortalecimento da Gestão dos Serviços e do Sistema de Saúde no Haiti”, cujo objetivo é fortalecer a sustentabilidade do sistema de saúde no país caribenho. Com a Palestina, o Ministério da Saúde organizará missão de prospecção e estruturação da agenda de cooperação técnica bilateral, em seguimento à visita do ministro Barros à Palestina, em março deste ano. Na ocasião, o ministro e seu homólogo palestino discutiram sobre o potencial de cooperação bilateral em saúde em áreas como cardiologia, atenção à saúde da criança, doação e transplante de órgãos e saúde mental.

Por Anna Lima, do Nucom AISA
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580

 

Fim do conteúdo da página