Ir direto para menu de acessibilidade.
    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Últimas Notícias
  4. >
  5. Agência Saúde
  6. >
  7. Ponta Grossa (PR) receberá acelerador linear para tratamento de oncologia
Início do conteúdo da página
Doação de Sangue

Ponta Grossa (PR) receberá acelerador linear para tratamento de oncologia

Escrito por André | Publicado: Segunda, 05 de Fevereiro de 2018, 18h09 | Última atualização em Segunda, 05 de Fevereiro de 2018, 18h09

Equipamento será destinado para a Santa Casa de Misericórdia para ampliar a assistência à população da região dos Campos Gerais, que possui aproximadamente um milhão de habitantes

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciou nesta segunda-feira (05) um acelerador linear –equipamento utilizado no tratamento de radioterapia – para a Santa Casa de Misericórdia de Ponta Grossa (PR). O aparelho vai ampliar a assistência à população da região dos Campos Gerais, que possui aproximadamente um milhão de habitantes.

“Vamos ampliar o apoio à Santa Casa, incluindo a construção da casamata para instalação do equipamento. Assim, o acelerador linear terá condições de entrar em funcionamento e garantir a cobertura aos pacientes que necessitam do tratamento contra o câncer na região de Ponta Grossa”, destacou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

A Santa Casa de Ponta Grossa é um hospital geral de referência para toda a região. O hospital atende nas especialidades de oncologia, hemodiálise, doenças cardíacas, obstetrícia, entre outras. A Santa Casa de Misericórdia recebe anualmente do governo federal cerca de R$ 4,3 milhões de Incentivo de Adesão à Contratualização do SUS e R$ 2,7 milhões pelo programa Rede Cegonha, que propõe a melhoria no atendimento às mulheres durante a gravidez e o parto.

Além disso, a instituição também recebe recursos federais para custeio de procedimentos ambulatoriais e hospitalares. Em 2017, foram repassados cerca de R$ 21,5 milhões para financiar esses procedimentos pelo SUS. Também em 2017, foram liberados aproximadamente R$ 4,2 milhões para financiar procedimentos relacionados ao tratamento do câncer, como cirurgias oncológicas e quimioterapia. 

Também em Ponta Grossa, o ministro visitou as obras da Maternidade Pública Campos Gerais, no Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais. Por enquanto, tem um andar que atende como maternidade, mas a obra ampliará o espaço para receber as futuras mães e bebês.

GESTÃO – O ministro Ricardo Barros também se reuniu com prefeitos e gestores de saúde da Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG): Arapoti, Carambeí, Castro, Ipiranga, Ivaí, Jaguariaíva, Palmeira, Piraí do Sul, Ponta Grossa, Porto Amazonas, São João do Triunfo, Sengés, Curiúva, Imbaú, Ortigueira, Reserva, Têlemaco Borba, Tibagi e Ventania.

As cidades da região foram contempladas com R$ 44,1 milhões para fortalecimento da saúde desde 2016. Desse total, R$ 14,9 milhões foram para custeio de 43 serviços/leitos de média e alta complexidade que funcionavam sem a contrapartida federal. Durante o período, também foram liberados R$ 25,7 milhões referentes a emendas parlamentares que tramitavam na pasta e aguardavam liberação desde 2014. 

“Estamos garantindo reforço financeiro para a Associação dos Municípios dos Campos Gerais ampliar e melhorar o atendimento à população em toda a região. Os municípios poderão qualificar a assistência e os serviços ofertados na rede pública de saúde”, ressaltou o ministro Ricardo Barros.

Em 600 dias de gestão, o município de Ponta Grossa foi contemplado com R$ 21,4 milhões para fortalecer os serviços de saúde da região. Desse total, R$ 12,9 milhões foram para custeio de 18 serviços/leitos de média e alta complexidade que funcionavam sem a contrapartida federal, além de R$ 8,52 milhões referentes a emendas parlamentares.

AVANÇOS – Nesta gestão, o estado do Paraná recebeu aproximadamente R$ 550 milhões de recursos federais para custear serviços e abertura de leitos em mais de 400 municípios. Apenas em 2016 foram repassados mais de R$ 150 milhões entre habilitações de leitos e outros serviços ambulatoriais e hospitalares. Em 2017, foram repassados cerca de R$ 400 milhões para custear esses serviços.

O Paraná também ganhou um reforço de R$ 23,6 milhões na Atenção Básica, beneficiando 88 municípios. O recurso diz respeito à habilitação de 348 novos Agentes Comunitários de Saúde, 99 Equipes de Saúde da Família, 78 Equipes de Saúde Bucal, 29 Núcleos de Apoio à Saúde da Família e 02 Equipes de Saúde Prisional.

Durante esta gestão, também foram habilitadas 16 UPAS 24hs em 15 municípios do estado, com um custo de R$ 26 milhões. No início de 2017 o Ministério da Saúde anunciou a doação de 23 ambulâncias para renovação da frota do SAMU 192 em 18 municípios do estado, totalizando um investimento de R$ 5,07 milhões. Em outubro de 2017, foi anunciado que 12 veículos do estado seriam contemplados com mais recursos federais para ampliação e qualificação (qualificação: Ponta Grossa, Cascavel e Arapongas).

Por Nicole Beraldo e Carolina Valadares, da Agência Saúde
Atendimento à Imprensa
(61) 3315-3533/3174/3580

Fim do conteúdo da página