Ir direto para menu de acessibilidade.

Vacine-se

    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Últimas notícias
  4. >
  5. Agência Saúde
  6. >
  7. Surto de sarampo no Amazonas reforça importância de vacinação
Início do conteúdo da página

Surto de sarampo no Amazonas reforça importância de vacinação

Escrito por amanda.mendes | Publicado: Segunda, 02 de Julho de 2018, 15h50 | Última atualização em Segunda, 30 de Julho de 2018, 14h43

Estado confirmou 263 casos de sarampo e 1.368 permanecem em investigação. Ministério da Saúde já encaminhou mais de 487 mil doses da vacina contra a doença

Com o surto de sarampo no estado do Amazonas, o Ministério da Saúde reforça a importância da população se vacinar contra a doença. O número de casos no estado ultrapassou, pela primeira vez, Roraima, que tem registrado casos da doença desde fevereiro deste ano em virtude da entrada de venezuelanos no estado. Até o dia 20 de junho, foram confirmados 263 casos de sarampo no Amazonas, 1.368 permanecem em investigação e 125 foram descartados. No total, são 1.756 notificações no estado, sendo 82,1% (1.441) destes em Manaus.

De janeiro a junho deste ano, a pasta encaminhou aos estados de Roraima e Amazonas o quantitativo de 711,4 mil doses da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) para atender a demanda dos serviços de rotina e a realização de campanhas, ações de controle da doença e prevenção de novos casos nesses estados. Desse total, 487,4 mil doses foram para o Amazonas e 224 mil para Roraima.

De 14 a 27 de abril deste ano, o município de Manaus, com o apoio do Ministério da Saúde, antecipou a campanha contra o sarampo, prevista para agosto. O dia de mobilização desta ação foi realizado dia 14 de abril, para a vacinação de crianças de seis meses a cinco anos de idade e continua na rotina das unidades de saúde. Além de evitar novos casos da doença, a estratégia governamental quer impedir que o vírus volte a circular de forma sustentada no Brasil. Segundo informações repassadas pelo estado ao Ministério da Saúde, até o dia 18 de junho, foram vacinadas 155.510 crianças, alcançando uma cobertura de 81,2% do público-alvo composto por 191.585 pessoas.

O estado de Roraima também realizou campanha no período de março a abril em todo o estado (15 municípios). Nessa ação, foi avaliada a situação vacinal de 189.154 pessoas, sendo administradas 112.971 doses de vacina tríplice viral em brasileiros, venezuelanos e pessoas de outras nacionalidades. O estado de Roraima confirmou 200 casos da doença, 177 continuam em investigação e 35 foram descartados, totalizando 412 casos notificados. Dois casos de sarampo no estado evoluíram para óbito associado a comorbidades. Todos esses dados são preliminares e estão sujeitos a alterações.

Ações contra o sarampo

Desde fevereiro, o Ministério Saúde tem mantido equipes técnicas e treinadas nos estados do Amazonas e Roraima para acompanhar as ações e prestar orientação no enfrentamento da situação. A pasta tem realizado treinamentos para profissionais de saúde sobre aspectos gerais da doença e ações de vigilância epidemiológica. O objetivo é tornar os profissionais de saúde, que atuam na rede de saúde dos estados, sensíveis sobre os sinais e sintomas que definem um caso suspeito de sarampo.

Além disso, o Ministério da Saúde apoiou os gestores locais dos dois estados na revisão de prontuários e fichas de atendimento, com o intuito de encontrar casos de sarampo que não tenham sido identificados oportunamente. Também foi realizada intensificação vacinal nos estrangeiros presentes no posto da Polícia Federal, em Roraima.

Foi elaborado, ainda, um plano de fortalecimento da vigilância epidemiológica do sarampo no estado do Amazonas, considerando eixos prioritários de atuação: municípios com mais de 75 mil habitantes, Região Metropolitana de Manaus, Municípios Sede de DSEI, Municípios de fronteira com outros países, Municípios Polo e Comunicação. Para o enfrentamento da situação do sarampo no estado do Amazonas, estão em andamento o bloqueio vacinal, a varredura (vacinação casa a casa), a intensificação vacinal, assim como estratégias de isolamento de casos suspeitos/confirmados durante o período de transmissibilidade.

Entre 2013 e 2015, ocorreram surtos decorrentes de pacientes vindos de outros países, sendo registrados neste período 1.310 casos da doença. O maior número de casos foi registrado nos estados de Pernambuco e Ceará. Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo, e atualmente empreende esforços para manter o certificado principalmente por meio do fortalecimento da vigilância epidemiológica, da rede laboratorial e de estratégias de imunização.

Para mais informações, acesse: saude.gov.br/sarampo

Por Amanda Mendes, da Agência Saúde 
Atendimento à imprensa 
(61) 3315-3580 / 2351 / 2745 

Fim do conteúdo da página