Ir direto para menu de acessibilidade.

Vacine-se

    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Últimas notícias
  4. >
  5. Agência Saúde
  6. >
  7. Ubá tem recursos para ampliar assistência em saúde básica e hospitalar
Início do conteúdo da página

Ubá tem recursos para ampliar assistência em saúde básica e hospitalar

Escrito por Ausinda Pereira | Publicado: Quinta, 13 de Setembro de 2018, 17h56 | Última atualização em Quinta, 13 de Setembro de 2018, 17h56

Novas habilitações permitem a implantação de Serviço de Residência Terapêutica, Centro Especializado em Reabilitação e Casa da Gestante. Também tem recursos para aquisição de equipamentos, como tomógrafos ultrassom, autoclave, aparelho de anestesia para dois hospitais

A população da cidade de Ubá e região contará com novos serviços para ampliar a assistência à saúde mental, da mulher, da pessoa com deficiência e qualificação de serviços hospitalares.  O município recebeu R$ 5 milhões do Governo Federal, que permitirá a aquisição de equipamentos para o Hospital São Vicente de Paulo, habilitação de serviço no Hospital Santa Isabel e apoio a Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência e à Saúde Mental. O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, visitou, nesta quinta-feira (13/09), as unidades de saúde em Ubá, além de ministrar uma Aula Magna para os alunos da Faculdade de Medicina Governador Ozanam Coelho (Fagoc).

“O Governo Federal está fazendo a parte dele, garantindo recursos para ampliação e qualificação da assistência. A cada ano o orçamento da saúde tem aumentado. Só esse ano (2018) serão 130 bilhões de reais destinados para toda a saúde no Brasil, com vacinação, compra de medicamentos, financiamento ao custeio para cirurgias, transplantes, Atenção Básica, entre outros”, esclareceu o ministro.

Em visita à a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Ubá (APAE), o ministro comentou sobre a habilitação de um Centro Especializado em Reabilitação (CER III), que atenderá cerca de 500 pessoas com deficiência intelectual e múltipla nas áreas de saúde, educação e assistência social. O custeio mensal federal será de R$ 200 mil. “É um trabalho que existe e temos a percepção de que os recursos estão sendo destinados de maneira adequada para atender às pessoas que necessitam e que vem aqui recorrer em busca de ajuda”, comentou o ministro.

O município de Ubá, está localizado na região da Zona da mata mineira e, junto com os municípios de Tocantins, Guidoval e Rodeio, são cerca de 144 mil habitantes.

CAPS II GUIDA SOLERO 

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS II) Guida Solero, vai oferecer o Serviço de Residência Terapêutica (SRT), que está sendo habilitado e atende a todas as faixas etárias para transtornos mentais graves e persistentes, inclusive pelo uso de substâncias psicoativas. Para esse novo atendimento, será destinado um reforço financeiro de R$ 8 mil por mês, além de R$ 33,1 mil mensais que a unidade já recebe para reforçar a assistência.

HOSPITAL SÃO VICENTE DE PAULO

Serão repassados R$ 2,3 milhões para que a unidade adquira materiais e equipamentos como tomógrafo, ultrassom, aparelho de anestesia, autoclave. O Hospital é filantrópico e realiza pelo SUS 78% dos atendimentos ambulatoriais (160.907) e 22,59% das internações (2.678) do município de Ubá. Também possui 110 leitos, sendo 56 SUS (23,73%) do total do município.

HOSPITAL SANTA ISABEL 

Ao visitar a unidade, o ministro Gilberto Occhi anunciou a habilitação da Casa da Gestante, Bebê e Puérpera, que receberá um recurso adicional de R$ 240 mil. Gerido pela Associação Beneficente Católica, o hospital realiza pelo SUS 12,70% dos atendimentos ambulatoriais (427.969) e 57,42 % das internações (6.808) do município de Ubá. São 139 leitos (45,34% do total do município), sendo 107 SUS (58,82% do total do município).

AULA MAGNA NA FAGOC 

Ainda na cidade, Gilberto Occhi ministrou Aula Magna para os alunos na Faculdade de Medicina da Faculdade Governador Ozanam Coelho (Fagoc). A instituição tem 2 mil alunos matriculados em 12 cursos nas áreas de Saúde, Humanas e Exatas e, ainda, disponibiliza cursos de extensão e pós-graduação.  O corpo docente é formado por 71% de mestres e doutores e a primeira turma de medicina deve se formar em julho de 2020.

Por Zinda Perrú, da Agência Saúde

Atendimento à imprensa

(61) 3315-3880 / 3587

Fim do conteúdo da página