Ir direto para menu de acessibilidade.

Vacine-se

    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Últimas notícias
  4. >
  5. Notícias SESAI
  6. >
  7. SESAI promove I Oficina sobre Contaminação por Mercúrio
Início do conteúdo da página

SESAI promove I Oficina sobre Contaminação por Mercúrio

Escrito por Gustavo Frasão | Publicado: Quinta, 13 de Setembro de 2018, 11h34 | Última atualização em Quinta, 13 de Setembro de 2018, 15h50

Objetivo é treinar colaboradores do Distrito Sanitário Especial Indígena de Porto Velho para situações de risco e manifestações da intoxicação

O mercúrio (Hg) é um elemento presente no ambiente que pode causar intoxicação grave em diversos seres vivos. Ele é emitido para o ambiente de duas formar gerais: a natural (ciclo geológico) e a antropogênica (garimpos, desmatamento). Atualmente, a exposição humana ao mercúrio ocorre quase exclusivamente na sua forma orgânica (metil mercúrio), proveniente do consumo de peixes, principalmente no que diz respeito aos povos indígenas.

A prevenção dos males causados pela toxidade do mercúrio deve ocorrer por meio de ações integradas. Os profissionais da atenção básica têm o papel de orientar quanto aos riscos e as medidas de reeducação alimentar para reduzir a ingesta de mercúrio. Além disso, devem estar atentos aos sinais e sintomas da intoxicação para que a intervenção ocorra o mais cedo possível. Nesse sentido, as ações educativas têm papel fundamental.

Prevenção

A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) realizou no dia 06 de setembro de 2018, por intermédio do Distrito Sanitário Especial Indígena de Porto Velho (DSEI Porto Velho), a I Oficina sobre Contaminação por Mercúrio. O intuito é instruir seus profissionais de saúde para identificar situações de risco, manifestações clínicas da intoxicação, vigilância, monitoramento e prevenção.

A Oficina foi ministrada pelo analista técnico de políticas sociais Fábio Ximenes da Silva, certificado pela OPAS/OMS para atuar como multiplicador local dos temas relativos à contaminação por mercúrio; e pelo Dr. Wanderley R. Bastos, professor da Universidade Federal de Rondônia e referência em pesquisas sobre o mercúrio na Região Amazônica.

Além disso, a equipe da Divisão de Atenção à Saúde Indígena (DIASI) do DSEI Porto Velho publicará um guia sobre contaminação por mercúrio em áreas indígenas. O guia, que terá ampla divulgação entre seus profissionais, se propõe a elucidar temas básicos sobre o mercúrio, como seu ciclo na natureza, os efeitos tóxicos, os biomarcadores, as orientações sobre o consumo de peixe, e outros aspectos.

Convenção de Minamata

Promulgada no Brasil por intermédio do Decreto nº 9.470, de 14 de agosto de 2018, a Convenção de Minamata é um instrumento de proteção da saúde humana e do meio ambiente dos efeitos adversos de emissões e liberações de mercúrio e seus compostos. O Brasil participou ativamente das discussões que deram origem à Convenção, que definiu regras internacionais para o uso e comércio de mercúrio, como o controle de fontes, comércio do metal, redução de emissões e de liberações de mercúrio no meio ambiente.

DSEI Porto Velho - Comunicação / SESAI
Atendimento à imprensa: (61) 3315.3580

Fim do conteúdo da página