Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

DAGEP/SGEP participa do Pré-Seminário de Barreiras ao Acesso em Doença de Chagas no Brasil

Escrito por Tatiana Teles | Publicado: Terça, 15 de Maio de 2018, 12h10 | Última atualização em Terça, 15 de Maio de 2018, 12h12

A atividade é promovida pela Fiocruz RJ e DNDi

Crédito: DAGEP/SGEP

DAGEP/SGEP participa do Pré-Seminário de Barreiras ao Acesso em Doença de Chagas no Brasil

Segunda-feira (14) e terça-feira (15), o Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (DAGEP/SGEP/MS) participa do Pré-Seminário de Barreiras ao Acesso em Doença de Chagas no Brasil, no Rio de Janeiro (RJ). A atividade é promovida pela Fundação Oswaldo Cruz do Rio de Janeiro e pela Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas, (DNDi, sigla em inglês de Drugs for Neglected Diseases initiative).

“Boa parte das populações que sofrem com as consideradas doenças negligenciadas, onde se encaixa a doença de Chagas, são as populações em situação de vulnerabilidade, as quais são abarcadas pelas políticas de promoção da equidade em saúde geridas pelo DAGEP. Sendo assim, associar a perspectiva da equidade no debate do combate à doença de Chagas é essencial”, destaca a participante da ação, servidora Isabela Blumm, integrante da equipe técnica responsável pela Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, da Floresta e das Águas.

A capacitação tem como principais objetivos: detectar os principais obstáculos para a implementação do novo consenso brasileiro em doença de Chagas no Sistema Único de Saúde (SUS), realizando um diagnóstico situacional; identificar a heterogeneidade de atores da tomada de decisões e as oportunidades e sinergias entre as instituições e especialistas presentes, para a definição de eixos de trabalho comuns; e discutir a transposição do conhecimento científico e popular sobre a doença de Chagas para a implementação do acesso ao diagnóstico e tratamento no Brasil, como modelo para a região.

Como resultado, espera-se que a atividade reúna um relatório com identificação e categorização das principais barreiras no acesso ao SUS e a definição de áreas prioritárias de atuação para demonstrar a efetividade da implementação do novo consenso em áreas endêmicas no Brasil.

Por Caroline Oliveira, do Nucom SGEP
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580 / 3174 / 2918

Fim do conteúdo da página