Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Qualificação em Desenvolvimento Infantil capacita mais de seis mil profissionais no Ceará

Escrito por alexandreb.sousa | Publicado: Quarta, 16 de Maio de 2018, 15h50 | Última atualização em Quarta, 16 de Maio de 2018, 15h50

A perspectiva é que aproximadamente 15 mil agentes comunitários de saúde sejam capacitados pela ESP/CE

Crédito: DivulgaçãoQualificação em Desenvolvimento Infantil capacita mais de seis mil profissionais no CearáMais de seis mil profissionais participaram do Curso de Qualificação em Desenvolvimento Infantil no Ceará

O Ceará tem realizado um efetivo trabalho na sua missão de promover o direito à vida e à saúde das crianças e adolescentes. Por entender que esses avanços passam pelo fomento às ações voltadas para a promoção do pleno desenvolvimento na primeira infância é que o Governo do Ceará, por meio do Gabinete da Primeira-Dama e a Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE), chega  6.743 profissionais capacitados no Curso de Qualificação em Desenvolvimento Infantil. 

Os números são um positivo reflexo da abrangência que a iniciativa, lançada em setembro de 2017, por meio de parceria com Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e do Instituto da Primeira Infância (Iprede) e do Programa Mais Infância Ceará, vem obtendo no campo da formação de profissionais que lidam diretamente com crianças e adolescentes no Ceará. A perspectiva é que aproximadamente 15 mil agentes comunitários de saúde sejam capacitados no Ceará. Esse total seria correspondente a todos os municípios do Estado. 

É nesse sentido que a capacitação dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) dos 85 municípios já contemplados com a formação vem somar por meio da ampliação do seu olhar e suas vivências a luz dos novos conhecimentos da neurociência. O curso vem, portanto, atuar como uma estratégia na sensibilização destes profissionais, dos pais e cuidadores das crianças. 

Francisco Cleiton Gondim é um desses profissionais. Agente comunitário de saúde em Itapiuna, ele observa a formação também como uma possibilidade de apreender novos conceitos e abordagens de carga prática e teórica no que diz respeito ao trabalho junto da Primeira Infância. “Nós, como agentes comunitários de saúde somos o elo mais forte da Atenção Primária em saúde na comunidade”. 

O diretor da Educação Profissional em Saúde, Caio Cavalcante, destaca o caráter inovador da formação na sua abordagem sobre a primeira infância e desenvolvimento infantil. “Essa é uma fase fundamental para estarmos desenvolvendo e fortalecendo o desenvolvimento dessas crianças em pilares como desenvolvimento no afeto, na educação e saúde”, afirma. O gestor ressalta, também, o fato de o curso estar voltado para a capacitação junto aos ACS dos municípios cearenses. “Entre os diversos profissionais do setor público e das políticas sociais, poucos têm uma inserção tão forte na vida e no cotidiano das pessoas quanto o ACS”, destaca Caio. 

O retorno que a equipe pedagógica da formação também recebe desses profissionais e das gestões nos municípios onde o curso ocorre é um motivador da iniciativa. Para a tutora Milena Barbosa, o reconhecimento do trabalho realizado é bastante visível em seu fazer diário. “Estamos contando com um apoio dos municípios e isso tem sido fundamental. Muitos ACS ficam bastante emocionados com as suas participações no curso”, destacou, enfatizando o fator de credibilidade que a ESP/CE tem junto a essa categoria profissional formado pelos agentes.

O curso

Ofertada pela ESP/CE por meio da sua Diretoria de Educação Profissional em Saúde, a capacitação teve início em 26 de setembro de 2017 e ocorre também em parceria com o Gabinete da Primeira-Dama, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e do Instituto da Primeira Infância (Iprede). Em sua proposta, o curso tem como objetivo capacitar os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) do estado em desenvolvimento infantil.

Ao todo, o curso compreende 100 horas/aula, sendo 60 dedicadas a estudos online orientados para a iniciativa “Família Brasileira Fortalecida na Atenção à Primeira Infância”, e 40 horas divididas entre encontros presencias e atividades práticas com temáticas sobre desenvolvimento infantil, atenção à saúde, cultura de paz e educação na infância. 

Além da formação dos profissionais, a proposta objetiva, no final de seu programa, entregar à gestão municipal um diagnóstico situacional da primeira infância e um projeto de intervenção local, a ser construído durante o processo de capacitação. 

Mais Infância Ceará 

Lançado em agosto de 2015, o Programa Mais Infância Ceará, idealizado pela primeira-dama Onélia Leite de Santana, presidente do Comitê Consultivo Intersetorial das Políticas de Desenvolvimento Infantil (CPDI), é responsável por articular ações no Estado para a infância.

O programa já realizou diversas ações com foco no desenvolvimento infantil. Com articulação da primeira-dama do Estado, a iniciativa tem o apoio de parceiros como o Governo Federal, secretarias de Estado, prefeituras municipais, iniciativa privada e entidades da sociedade civil.

O programa busca contemplar a complexidade de promover o desenvolvimento infantil, estruturando-se em três dimensões: "Tempo de Crescer", compreendendo que o desenvolvimento infantil requer uma abordagem integral e integrada, reconhecendo que o bem-estar físico e intelectual de crianças, bem como seu desenvolvimento socioemocional e cognitivo, estão inter-relacionados. 

Além do "Tempo de Brincar", com foco nos benefícios do jogo infantil para o desenvolvimento físico, cognitivo, emocional das crianças, além do convívio familiar, da socialização e de sua integração à cultura de sua comunidade; e o "Tempo de Aprender", cujo entendimento vem do fato de a escola ser percebida como direito de todos, buscando atender a meta de universalizar a oferta de pré-escola e ampliar a oferta de creches.

A Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE) foi criada em 22 de julho 1993. Ela faz parte das 41 Escolas pertencentes à Rede de Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (RET-SUS), existentes em todas as regiões do país, coordenadas pelo Departamento de Gestão da Educação na Saúde (Deges), da Secretaria de Gestão da Educação na Saúde (SGTES).  ESP-CE oferece cursos de pós-graduação, técnicos, pós-técnicos, de atualização e de aperfeiçoamento, na modalidade presencial, semipresencial e a distância.

Por Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP/CE
ascom@esp.ce.gov.br

Fim do conteúdo da página