Ir direto para menu de acessibilidade.
    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Saúde de A a Z
  4. >
  5. Acidentes com águas-vivas e caravelas
Início do conteúdo da página
Acidentes com águas-vivas e caravelas

Acidentes com águas-vivas e caravelas

Escrito por alexandreb.sousa | Publicado: Sexta, 28 de Abril de 2017, 17h47 | Última atualização em Sexta, 01 de Setembro de 2017, 14h17

O calor do verão brasileiro é um incentivo para o banho de mar. No entanto, é importante que os banhistas sejam cuidadosos e tentem evitar o contato com águas-vivas e caravelas. Em casos de acidentes com águas-vivas e caravelas, primeiramente, para alívio da dor inicial, devem ser utilizadas compressas geladas (pacotes fechados de gelo – “cold packs” –, envoltos em panos, ou água do mar gelada, se disponível). Em seguida, o local da lesão deve ser lavado com ácido acético a 5% (vinagre, por exemplo), sem esfregar a região acometida, e, posteriormente, compressa do mesmo produto deve ser aplicada por cerca de 10 minutos, para evitar o aumento do envenenamento. É importante que não seja utilizada água doce para lavagem do local da lesão, nem para aplicação das compressas geladas, pois a água doce pode piorar o quadro do envenenamento. Em casos de acidentes com águas-vivas e caravelas, os pacientes devem procurar assistência médica para avaliação clínica do envenenamento e, se necessário, realização de tratamento complementar. A remoção dos tentáculos aderidos à pele deve ser realizada de forma cuidadosa, preferencialmente com uso de pinça ou lâmina.

Fim do conteúdo da página