Ir direto para menu de acessibilidade.
    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Saúde de A a Z
  4. >
  5. Brucelose Humana
Início do conteúdo da página

Brucelose Humana: causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção

Escrito por Alessandra Bernardes | Publicado: Quinta, 09 de Agosto de 2018, 11h23 | Última atualização em Segunda, 10 de Dezembro de 2018, 15h21

O que é Brucelose Humana? 

A brucelose humana é uma doença que pode ser transmitida ao ser humano por animais, como gado, suínos e caprinos e cães contaminados. Os seres humanos são apenas alguns dos possíveis hospedeiros. Neste caso, hospedeiros finais. Considerada uma das zoonoses mais comuns do planeta, de ampla distribuição e significância mundial, apresenta alta prevalência em alguns países e regiões, como a América do Sul. 

IMPORTANTE:  Embora a brucelose humana chame atenção dos sistemas de saúde em todo o mundo por ser uma doença que apresenta importantes impactos, desde o ponto de vista ocupacional, problemas sanitários e até prejuízos econômicos, ela ainda é pouco conhecida, de difícil diagnóstico, subnotificada e negligenciada.

O que causa a Brucelose Humana?

A brucelose humana é causada por bactérias do gênero Brucella spp. da família Brucellaceae. Possui alta prevalência em ambientes ocupacionais e é citada na lista de doenças relacionadas ao trabalho, segundo a Portaria nº 1.339/1999, do Ministério da Saúde.

A doença, que é responsável por incapacidade para o trabalho ou diminuição do rendimento profissional, atinge principalmente trabalhadores que manejam animais e da cadeia de produção de laticínios, carnes e seus derivados.

Como a bactéria possui múltiplas rotas de infecção, sendo que os mamíferos são os principais hospedeiros naturais, gera um cenário de difícil controle e de real ameaça para a saúde pública, qualidade de vida e sobrevivência de pessoas e animais.

De forma geral, a doença acomete com maior frequência aos trabalhadores rurais (ex: vaqueiros, boiadeiros, vacinadores, tratadores de animais, produtores de carne, leite e queijo), veterinários, trabalhadores de frigorifico (ex. abatedores) e trabalhadores de laboratórios.

Em humanos, a bactéria da Brucelose Humana pode ser encontrada com mais facilidade nos seguintes ambientes profissionais:

  • criadores;

  • veterinários;

  • vacinadores frigoríficos;

  • laticínios;

  • curtumes;

  • laboratórios.

Quais são os sintomas da Brucelose Humana?

Com a capacidade para afetar diversos órgãos e sistemas, a brucelose humana pode simular ou se assemelhar a outras infecções e doenças não infecciosas. Alguns dos sinais e sintomas mais comuns são:

  • Febre;

  • Mal-estar;

  • Sudorese (noturna e profusa);

  • Calafrios;

  • Fraqueza;

  • Cansaço;

  • Perda de peso;

  • Dores (de cabeça, articulares, musculares, no abdômen e nas costas)

Por serem sinais e sintomas comuns a outras doenças, isso pode dificultar o diagnóstico. No entanto, a doença pode causar sintomas inespecíficos ou gerar uma infecção sem sintomas nos pacientes.

O período de incubação da brucelose humana varia entre 5 e 60 dias, podendo durar por até dois anos.

Como é feito o diagnóstico da Brucelose Humana?

Devido às características próprias da doença, muitos casos não são identificados em razão de diagnósticos imprecisos. Por isso, muitas vezes, é tratada como outras doenças ou "febre de origem desconhecida". Diante disso, é de extrema importância realizar a investigação epidemiológica e sanitária, para avaliar uma possível vinculação e exposição no ambiente de trabalho do paciente, além do consumo de alimentos lácteos sem tratamento térmico adequado, como a pasteurização e a fervura.

Os testes laboratoriais são necessários para confirmar o diagnóstico, sendo utilizados diversos métodos de análise, como a cultura da bactéria, sorologia e PCR. O exame de sangue, nesse caso, é fundamental.

IMPORTANTE:  Se você for profissional que atua em áreas de risco ou suspeita que tenha ingerido algum tipo de alimento contaminado, informe ao médico no momento da consulta para facilitar o diagnóstico.

Como é feito o tratamento da Brucelose Humana?

O tratamento da brucelose humana é feito com antibióticos. Se a doença não for tratada adequadamente, pode se tornar crônica. Por isso, assim que surgirem os primeiros sintomas é essencial procurar um médico profissional para avaliação detalhada do quadro. 

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza o tratamento gratuito da brucelose humana aos estados e seus municípios. Os medicamentos da terapia antibacteriana poderão ser receitados após avaliação médica e confirmação do diagnóstico por exames laboratoriais.

Como ocorre a transmissão da Brucelose Humana?

A brucelose pode ser transmitida aos seres humanos de diversas formas, sendo uma das principais,  pela via alimentar (ingestão de alimentos sólidos ou líquidos contaminados), como:

  • leite não pasteurizado;

  • produtos lácteos contaminados, como queijo e manteiga e sorvetes;

  • carne mal passada ou crua.

Além da transmissão pela via alimentar, a brucelose pode ser transmitida pelo contato direto ou indireto com animais infectados. Outra forma de transmissão é por via respiratória, com a inalação de bactérias em ambientes contaminados. Pode ocorrer, ainda, a inoculação vacinal acidental do patógeno, pela vacina animal (Brucella abortus cepas B19 e RB51). 

O contato com animais infectados, como gado bovino e bubalino, ovelhas, cabras, porcos, cavalos e cães, entre outros, pode gerar uma situação de exposição, assim como ambientes de trabalho com exposição a material biológico.

Outras formas de transmissão, como sexual, congênita ou a partir de transfusão sanguínea e transplantes de órgãos ou tecidos são raras, mas também podem ocorrer.

brucelose humana: causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção

Gravidez e a Brucelose Humana

A infeção por brucelose humana durante a gravidez é rara, mas pode causar aborto, particularmente, durante o primeiro e o segundo trimestres. Sendo assim, mulheres devem receber tratamento médico imediato e as gestantes devem fazer o pré-natal adequadamente.

Fatores de risco

São considerados expostos ao risco de contágio de brucelose os trabalhadores da pecuária (vaqueiros, boiadeiros, peão), de açougues, de frigoríficos, de matadouros, de granjas, de laboratórios de análises clínicas e pesquisa, bem como médicos veterinários, agropecuaristas e estudantes destas áreas.

 

Como prevenir a Brucelose Humana?

Não existe vacina efetiva. Entre outras medidas, a prevenção da brucelose humana pode ocorrer com o controle ou eliminação da doença na população animal hospedeira. Diariamente, deve-se evitar o contato direto ou indireto com animais doentes ou potencialmente contaminados e seus produtos derivados. Outras medidas importantes para evitar a doença são:

  • Consumir apenas leite fervido ou pasteurizado.

  • Consumir derivados de leite preparados com leite fervido ou pasteurizado.

  • Consumir carne, vísceras e derivados de carne sempre bem cozidas.

  • Manter uma boa higiene e desinfecção dos locais de produção animal e de produtos derivados (galpões onde os animais são ordenhados, piquetes, locais onde ocorrem partos ou permanece o animal prenhe ou em tratamento sanitário, frigoríficos, açougues, matadouros e outras áreas potencialmente contaminadas pela circulação de gado).

  • Estas medidas devem estar em consonância com o que é preconizado pela legislação específica, ou seja, o Regulamento de Inspeção Industrial de Produtos de Origem Animal (RIISPOA) e o Manual de Legislação de Saúde Animal, ambos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

  • Utilizar corretamente os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) determinados para cada atividade laboral específica (durante o manejo de animais, vacinação ou manipulação de elementos passíveis de conter as bactérias causadoras da brucelose).

  • Seguir as normas de biossegurança.

  • No caso das gestantes, fazer o pré-natal adequadamente, no caso das gestantes.

  • Não alimentar cães e outros animais com produtos de origem animal crus (cárneos e outros).

IMPORTANTE:  O tratamento térmico adequado da carne e dos produtos lácteos é muito importante para a prevenção eficaz da brucelose em humanos. Manter uma boa higiene e desinfecção dos locais de produção animal e de produtos derivados também é fundamental para prevenir a doença.

registrado em:
Fim do conteúdo da página