Ir direto para menu de acessibilidade.
    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Saúde de A a Z
  4. >
  5. Varicela/Herpes Zoster
Início do conteúdo da página

GRIPE:QUEM DEVE SE VACINAR?

Doação de Sangue

Varicela/Herpes Zoster

Escrito por alexandreb.sousa | Publicado: Terça, 02 de Maio de 2017, 13h57 | Última atualização em Segunda, 20 de Novembro de 2017, 16h29

A Varicela, também conhecida como Catapora, é uma infecção viral primária, aguda e altamente contagiosa. Ela é caracterizada pelo surgimento de erupções cutâneas, que, após algumas horas, evoluem rapidamente para pústulas e, posteriormente, forma crostas, em 3 a 4 dias.

Todos estão suscetíveis à doença. Em crianças, a Varicela, geralmente, é uma doença benigna e autolimitada. Já em adolescentes e adultos, em geral, o quadro clínico é mais exuberante.

A infecção confere imunidade permanente. Mesmo que raramente ocorra um segundo episódio de Catapora. No entanto, o vírus da Varicela permanece no corpo a vida toda, pode ser reativado e causar outra doença, o Herpes-Zoster, também conhecido como cobreiro.

Sintomas

A principal característica clínica são lesões cutâneas, que se apresentam nas diversas formas evolutivas, acompanhadas de uma sensação incômoda na pele e coceira. Além disso, a Varicela pode resultar em febre moderada e sintomas sistêmicos, como mal estar, cansaço, dor de cabeça e perda de apetite.

Diagnóstico

O diagnóstico da Varicela é realizado principalmente por meio do quadro clínico-epidemiológico. O vírus Varicela-Zoster pode ser isolado das lesões vesiculares durante os primeiros 3 a 4 dias de erupção.

Transmissão

A transmissão acontece de pessoa a pessoa, por meio do contato direto ou de secreções respiratórias e, raramente, através de contato com lesões de pele. Indiretamente a Varicela é transmitida por meio de objetos contaminados com secreções de vesículas e membranas mucosas de pacientes infectados.

O período de transmissão é de 14 a 16 dias. Mas, pode variar entre 10 a 20 dias após o contato. Ele pode ser mais curto em pacientes imunodeprimidos (cujo sistema imunológico está enfraquecido) e mais longo após imunização passiva. Já o período de transmissibilidade varia de 1 a 2 dias antes da erupção e até 5 dias após o surgimento do primeiro grupo de vesículas. Enquanto houver vesículas, a infecção é possível.

Prevenção

Existe vacina contra a Varicela, mas ela tem indicações precisas, quem levam em conta a situação epidemiológica da doença. Sendo assim, não está disponível de forma universal no Sistema Único de Saúde (SUS).

As indicações para vacinação são:

  • População indígena a partir de quatro anos de idade;
  • Surto hospitalar da doença: vacinar, até cinco dias após o surto, crianças maiores de 9 meses de idade que tenham imunidade baixa e que estejam dentro do hospital e demais pessoas que estejam suscetíveis;
  • Profissionais de saúde, cuidadores e familiares suscetíveis à doença que estejam em convívio domiciliar ou hospitalar com pacientes com maior risco de contrair a doença com consequências graves, como crianças com câncer, pessoas em geral submetidas à cirurgias, doadores de órgãos e células-tronco, entre outros;
  • Pacientes com doenças renais crônicas;
  • Crianças, adolescentes e adultos infectados pelo HIV;
  • Doenças dermatológicas graves;
  • Pessoas que fazem uso crônico de aspirina.

Para evitar o contágio da Catapora, também é preciso restringir as pessoas infectadas de locais públicos, até que todas as lesões de pele estejam cicatrizadas – isso acontece em média, num período de duas semanas. Mãos, vestimentas e roupas de cama, além de outros objetos que possam estar contaminados, devem passar por higienização vigorosa. 

Tratamento

No tratamento da catapora, em geral, são utilizados analgésicos e antitérmicos, para aliviar a dor de cabeça e baixar a febre, e antialérgicos para aliviar a coceira.

Os cuidados de higiene são muito importantes e devem ser feitos apenas com água e sabão. Para diminuir a coceira, o ideal é fazer compressa de água fria.

As vesículas não devem ser coçadas e as crostas não devem ser retiradas. Para evitar que isso aconteça, as unhas devem ser bem cortadas.

A medicação a ser ministrada deve ser orientada por profissionais de saúde, pois o uso de analgésicos e antitérmicos à base de ácido acetilsalecílico é contraindicado e pode provocar problemas graves.


registrado em:
Fim do conteúdo da página