Ir direto para menu de acessibilidade.
    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Saúde para Você
  4. >
  5. Saúde do Homem
  6. >
  7. Publicações
Início do conteúdo da página

GRIPE:QUEM DEVE SE VACINAR?

Publicações

Escrito por Alessandra Bernardes | Publicado: Quinta, 29 de Junho de 2017, 11h14 | Última atualização em Terça, 29 de Agosto de 2017, 16h17

Série Trabalhando com Homens Jovens:Sexualidade e Saúde Reprodutiva (ECOS – Comunicação em Sexualidade): O manual ajuda profissionais que trabalham com homens jovens a abordarem questões relativas à sexualidade e saúde reprodutiva, a partir de uma perspectiva de gênero e relacional. 

Série Trabalhando com Homens Jovens: Prevenindo e Vivendo com HIV/AIDS (ECOS, Instituto Papai, Promundo, Salud y Género): O manual destaca a necessidade de se pensar prevenção do HIV a partir de um referencial de gênero e articulando essa discussão a outras dimensões da vida cotidiana: sexualidade, violência, auto-cuidado e saúde mental. Além disso, propõe uma série de reflexões para os jovens que estão vivendo com HIV/Aids. 

Homens Jovens e Prevenção de HIV: Um Guia Para a Ação (Promundo e UNFPA) 

Série Trabalhando com Homens Jovens: Paternidade e Cuidado: O manual propõe questionamentos sobre o lugar que o cuidado ocupa nas vidas dos homens jovens, estimulando-os a serem mais comprometidos com a paternidade e o auto-cuidado. (Instituto PAPAI) 

Cuidar sem violência: todo mundo pode (Promundo e CIESPI) 

Pelo fim dos castigos físicos e humilhantes manual para sensibilização de pais, mães e cuidadores de crianças (Promundo, Save the Children, Bernard Van Leer Foundation) 

Homens também cuidam! Diálogos sobre direitos, saúde sexual e reprodutiva, paternidade e relações de cuidado: livreto que faz uma reflexão crítica sobre os lugares destinados aos homens e às mulheres na vida em sociedade, especialmente no que se refere ao que chamamos de “cuidado com a vida”, que inclui não apenas o cuidado com os filhos e as filhas, mas também o cuidado com as pessoas idosas, com deficiência ou algum problema de saúde. (UNFPA e Instituto PAPAI, 2007) 

Série Trabalhando com Homens Jovens: Da Violência para a Convivência (Instituto Promundo): O manual propicia reflexões sobre aspectos de gênero presentes nos episódios de violência. O reconhecimento de que a maioria dos atos de violência na esfera pública é cometida por homens jovens contra outros homens jovens e, na esfera privada, por homens contra mulheres é o primeiro passo para a redução da violência. 

Pesquisa Instituto Avon/Data Popular - Percepções dos homens sobre a violência doméstica contra a mulher (Instituto AVON).  

Futuros Possíveis: sua atitude define o seu destino (Instituto AVON).  

Prevenção e atenção à violência intrafamiliar e de gênero: apoio às lideranças comunitárias (Instituto NOOS, 2010)

Conversas homem a homem: grupos reflexivos de gênero (Instituto NOOS, 2004)

Hombres jóvenes por el fin de la violência: Manual para facilitadores y facilitadoras (Promundo, International Center on Research on Women/ICRW, Alianza MenEngage; CulturaSalud  e EME-Masculinidades y Equidad de Género)  

Nota Técnica: Vidas perdidas e racismo no Brasil. (IPEA, 2013)

Série Trabalhando com Homens Jovens: Razões e emoções (Salud y Género): O manual mostra como a construção de gênero influencia a saúde mental dos jovens. O uso da violência, o consumo abusivo de álcool e de outras drogas são também reflexos de comportamentos socialmente construídos, tradicionalmente associados ao masculino. O manual aponta como estratégia na prevenção do uso abusivo de drogas uma combinação de ações específicas de prevenção com o desenvolvimento de habilidades gerais para a vida. 

Comunidade de práticas DAB: se propõe a ser esse espaço vivo, dinâmico, com efetivo valor de uso para o SUS. O projeto consiste de um conjunto de estratégias articuladas em torno de uma proposta principal: a oferta de uma plataforma virtual que possibilite a constituição de comunidades virtuais entre os trabalhadores e gestores da atenção básica das três esferas de governo. 

Instituto Nacional de Câncer/INCA: órgão auxiliar do Ministério da Saúde no desenvolvimento e coordenação das ações integradas para a prevenção e o controle do câncer no Brasil. 

Juventude Viva: Sob a coordenação da Secretaria-Geral da Presidência da República, por meio da Secretaria Nacional de Juventude, e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, o Plano Juventude Viva é fruto de uma intensa articulação interministerial para enfrentar a violência contra a juventude brasileira, especialmente os jovens negros, principais vítimas de homicídio no Brasil 

Instituto PAPAI: organização civil sem fins lucrativos, sediada em Recife, que desenvolve ações políticas, educativas e informativas junto a populações masculinas em situação de pobreza, bem como estudos e pesquisas sobre masculinidades, a partir da perspectiva feminista e de gênero. 

Instituto Promundo: organização brasileira com escritórios no Rio de Janeiro, Estados Unidos, Portugal e Ruanda, que trabalham em colaboração para atingir sua missão de promover masculinidades não-violentas e relações de gênero  equitativas. 

Instituto Noos: organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1994 e reconhecida como de Utilidade Pública Federal. O Noos tem por objetivo o desenvolvimento e a difusão de práticas sociais sistêmicas voltadas para a promoção da saúde dos relacionamentos nas famílias e nas comunidades. perfil

ECOS Comunicação em Sexualidade: organização não-governamental com 20 anos de atuação consolidada na defesa dos direitos humanos, com ênfase nos direitos sexuais e direitos reprodutivos, em especial de adolescentes e jovens, com a perspectiva de erradicar as discriminações relativas a gênero, orientação sexual, idade, raça/etnia, existência de deficiências, classe social. 

EME Masculinidades y Equidade de Género: área de la Fundación CulturaSalud (Chile) dedicada a la investigación y la intervención psicosocial con hombres y equidad de género. 

ReHuNa – Rede de Humanização do Parto e do Nascimento: organização da sociedade civil com atuação em todo o Brasil fundada em 1993, com o objetivo principal de divulgar a assistência e cuidados perinatais com base em evidências científicas. 

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC): entidade nacional que congrega médicos que atuam em postos e outros serviços de Atenção Primária em Saúde, prestando atendimento médico geral, integral e de qualidade a indivíduos, famílias e comunidades. Inclui também professores, preceptores, pesquisadores e outros profissionais que atuam ou estão interessados nesta área. 

Núcleo de Pesquisa em Gênero e Masculinidades Gema/UFPE: Fundado em 1998, o Gema tem por objetivo desenvolver ensino, pesquisa e extensão universitária, a partir do enfoque feminista de gênero, atuando no campo da saúde e direitos humanos, especialmente em temas relativos aos direitos sexuais e reprodutivos. 

Núcleo Margens: Modos de vida, família e relações de gênero/UFSC 

Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos CLAM/UERJ: tem como finalidade principal produzir, organizar e difundir conhecimentos sobre a sexualidade na perspectiva dos direitos humanos, buscando, assim, contribuir para a diminuição das desigualdades de gênero e para o fortalecimento da luta contra a discriminação das minorias sexuais na região. 

Campanha Brasileira do Laço Branco: tem por objetivo sensibilizar, envolver e mobilizar os homens em ações pelo fim de todas as formas de violência contra a mulher, atuando em consonância com as ações dos movimentos de mulheres, feministas e de outros movimentos organizados em prol da equidade de gênero e justiça social. 

Campanha Diálogos: Gênero Saúde e Cidadania - Trabalhando com homens e mulheres em contextos de grandes obras. 

Campanha Machismo Não Combina com Saúde: Instituto PAPAI

MenEngage: rede global de organizações da sociedade civil, comprometida em engajar homens e meninos para a promoção da igualdade de gênero. A rede busca incentivar a colaboração entre organizações no âmbito nacional, regional e internacional para o desenvolvimento de programas e advocacy que promovam a inclusão do tema homens e masculinidades nos esforços para a promoção da igualdade de gênero. 

MenCare: uma campanha mundial sobre a paternidade. 

Intercâmbios: aliança interamericana de organizações não-governamentais e indivíduos comprometidos com a prevenção da violência de gênero na América Latina. A aliança aborda o tema como uma questão de saúde pública e de Direitos Humanos. Entre as ações, estão incluídas capacitações técnicas, estratégias de advocacy, pesquisas e disseminação de conhecimentos e boas-práticas relacionadas ao tema. 

Red Iberoamericana y Africana de Masculinidades

Fortalecimento da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem: compromisso versus ação na atenção básica (Ministério da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz e Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, 2013).

Perfil da Situação de Saúde do Homem no Brasil (Ministério da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz e Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, 2012).

Plano de Ação Nacional 2009 – 2011 (Ministério da Saúde/Secretaria de Atenção à Saúde/Departamento de Ações Programáticas/Área Técnica de Saúde do Homem).

Cadernos HumizaSUS – Volume 4 – Humanização do Parto e do Nascimento (Ministério da Saúde e Universidade Federal do Ceará, 2014)

Vigitel - Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico/VIGITEL (Ministério da Saúde, 2013).

Fim do conteúdo da página