Ir direto para menu de acessibilidade.

Vacine-se

    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Saúde para Você
  4. >
  5. Saúde do Homem
  6. >
  7. Publicações
Início do conteúdo da página

GRIPE:QUEM DEVE SE VACINAR?

Publicações

Escrito por Alessandra Bernardes | Publicado: Quinta, 29 de Junho de 2017, 11h14 | Última atualização em Sexta, 31 de Agosto de 2018, 15h18

Cartilha sobre saúde sexual e saúde reprodutiva de homens trans, nas bases da prevenção combinada

Série Trabalhando com Homens Jovens:Sexualidade e Saúde Reprodutiva (ECOS – Comunicação em Sexualidade): O manual ajuda profissionais que trabalham com homens jovens a abordarem questões relativas à sexualidade e saúde reprodutiva, a partir de uma perspectiva de gênero e relacional.

Série Trabalhando com Homens Jovens: Prevenindo e Vivendo com HIV/AIDS (ECOS, Instituto Papai, Promundo, Salud y Género): O manual destaca a necessidade de se pensar prevenção do HIV a partir de um referencial de gênero e articulando essa discussão a outras dimensões da vida cotidiana: sexualidade, violência, auto-cuidado e saúde mental. Além disso, propõe uma série de reflexões para os jovens que estão vivendo com HIV/Aids.

Homens Jovens e Prevenção de HIV: Um Guia Para a Ação (Promundo e UNFPA)

Pesquisa paternidade cuidado e ouvidoria III Etapa

Brasil - Pesquisa Saúde do Homem III etapa

Acre (AC)
Alagoas (AL)
Amapá (AP)
Amazonas (AM)
Bahia (BA)
Ceará (CE)
Distrito Federal (DF)
Espírito Santo (ES)
Goiás (GO)

Maranhão (MA)
Mato Grosso (MT)
Mato Grosso do Sul (MS)
Minas Gerais (MG)
Tocantins (TO)
Pará (PA)
Paraíba (PB)
Paraná (PR)
Pernambuco (PE)

Piauí (PI)
Rio de Janeiro (RJ)
Rio Grande do Norte (RN)
Rio Grande do Sul (RS)
Rondônia (RO)
Roraima (RR)
Santa Catarina (SC)
São Paulo (SP)
Sergipe (SE)

 

Pesquisa paternidade cuidado e ouvidoria II Etapa

Brasil - Pesquisa Saúde do Homem II etapa

Acre (AC)
Alagoas (AL)
Amapá (AP)
Amazonas (AM)
Bahia (BA)
Ceará (CE)
Distrito Federal (DF)
Espírito Santo (ES)
Goiás (GO)

Maranhão (MA)
Mato Grosso (MT)
Mato Grosso do Sul (MS)
Minas Gerais (MG)
Tocantins (TO)
Pará (PA)
Paraíba (PB)
Paraná (PR)
Pernambuco (PE)

Piauí (PI)
Rio de Janeiro (RJ)
Rio Grande do Norte (RN)
Rio Grande do Sul (RS)
Rondônia (RO)
Roraima (RR)
Santa Catarina (SC)
São Paulo (SP)
Sergipe (SE)

 

Pesquisa paternidade cuidado e ouvidoria I Etapa

Brasil - Pesquisa Saúde do Homem I etapa

Acre (AC)
Alagoas (AL)
Amapá (AP)
Amazonas (AM)
Bahia (BA)
Ceará (CE)
Distrito Federal (DF)
Espírito Santo (ES)
Goiás (GO)

Maranhão (MA)
Mato Grosso (MT)
Mato Grosso do Sul (MS)
Minas Gerais (MG)
Tocantins (TO)
Pará (PA)
Paraíba (PB)
Paraná (PR)
Pernambuco (PE)

Piauí (PI)
Rio de Janeiro (RJ)
Rio Grande do Norte (RN)
Rio Grande do Sul (RS)
Rondônia (RO)
Roraima (RR)
Santa Catarina (SC)
São Paulo (SP)
Sergipe (SE)

 

Série Trabalhando com Homens Jovens: Paternidade e Cuidado: O manual propõe questionamentos sobre o lugar que o cuidado ocupa nas vidas dos homens jovens, estimulando-os a serem mais comprometidos com a paternidade e o auto-cuidado. (Instituto PAPAI)

Cuidar sem violência: todo mundo pode (Promundo e CIESPI)

Pelo fim dos castigos físicos e humilhantes manual para sensibilização de pais, mães e cuidadores de crianças (Promundo, Save the Children, Bernard Van Leer Foundation)

Homens também cuidam! Diálogos sobre direitos, saúde sexual e reprodutiva, paternidade e relações de cuidado: livreto que faz uma reflexão crítica sobre os lugares destinados aos homens e às mulheres na vida em sociedade, especialmente no que se refere ao que chamamos de “cuidado com a vida”, que inclui não apenas o cuidado com os filhos e as filhas, mas também o cuidado com as pessoas idosas, com deficiência ou algum problema de saúde. (UNFPA e Instituto PAPAI, 2007)

Cartaz: Licença-paternidade - UM DIREITO DO PAI

Folder: Licença-paternidade - UM DIREITO DO PAI

Folder “Pai: uma nova vida precisa de você” (1)

Folder “Pai: uma nova vida precisa de você” (2)

Cartaz “Pai: uma nova vida precisa de você” (1)

Cartaz “Pai: uma nova vida precisa de você” (2)

Folder Lei do Acompanhante "Amigo, gravidez, parto e cuidado também são coisas de homem. Seja pai, esteja presente!

Cartaz Lei do Acompanhante 1 "Seja pai, seja parceiro, Pré-natal, parto e pós-parto também são coisas de homem"

Cartaz Lei do Acompanhante 2 "Pai, uma nova vida precisa de você."

Cartaz Lei do Acompanhante 2 "Tem momentos na vida que você tem todo o direito de ter alguém especial ao seu lado. Peça a companhia do seu parceiro"

Logo "Pai Presente: Cuidado e Compromisso"

Nota técnica conjunta nº XX/2017: Recomendações do Ministério da Saúde para regulamentar a
participação do homem em programa ou atividade de orientação sobre paternidade em relação ao Marco Legal da Primeira Infância, (Lei Nº 13.257 de 08 de março de 2016)

Série Trabalhando com Homens Jovens: Da Violência para a Convivência (Instituto Promundo): O manual propicia reflexões sobre aspectos de gênero presentes nos episódios de violência. O reconhecimento de que a maioria dos atos de violência na esfera pública é cometida por homens jovens contra outros homens jovens e, na esfera privada, por homens contra mulheres é o primeiro passo para a redução da violência.

Pesquisa Instituto Avon/Data Popular - Percepções dos homens sobre a violência doméstica contra a mulher (Instituto AVON).

Futuros Possíveis: sua atitude define o seu destino (Instituto AVON).

Prevenção e atenção à violência intrafamiliar e de gênero: apoio às lideranças comunitárias (Instituto NOOS, 2010)

Conversas homem a homem: grupos reflexivos de gênero (Instituto NOOS, 2004)

Hombres jóvenes por el fin de la violência: Manual para facilitadores y facilitadoras (Promundo, International Center on Research on Women/ICRW, Alianza MenEngage; CulturaSalud e EME-Masculinidades y Equidad de Género)

Nota Técnica: Vidas perdidas e racismo no Brasil. (IPEA, 2013)

Série Trabalhando com Homens Jovens: Razões e emoções (Salud y Género): O manual mostra como a construção de gênero influencia a saúde mental dos jovens. O uso da violência, o consumo abusivo de álcool e de outras drogas são também reflexos de comportamentos socialmente construídos, tradicionalmente associados ao masculino. O manual aponta como estratégia na prevenção do uso abusivo de drogas uma combinação de ações específicas de prevenção com o desenvolvimento de habilidades gerais para a vida.

Comunidade de práticas DAB: se propõe a ser esse espaço vivo, dinâmico, com efetivo valor de uso para o SUS. O projeto consiste de um conjunto de estratégias articuladas em torno de uma proposta principal: a oferta de uma plataforma virtual que possibilite a constituição de comunidades virtuais entre os trabalhadores e gestores da atenção básica das três esferas de governo.

Instituto Nacional de Câncer/INCA: órgão auxiliar do Ministério da Saúde no desenvolvimento e coordenação das ações integradas para a prevenção e o controle do câncer no Brasil.

Juventude Viva: Sob a coordenação da Secretaria-Geral da Presidência da República, por meio da Secretaria Nacional de Juventude, e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, o Plano Juventude Viva é fruto de uma intensa articulação interministerial para enfrentar a violência contra a juventude brasileira, especialmente os jovens negros, principais vítimas de homicídio no Brasil

Instituto PAPAI: organização civil sem fins lucrativos, sediada em Recife, que desenvolve ações políticas, educativas e informativas junto a populações masculinas em situação de pobreza, bem como estudos e pesquisas sobre masculinidades, a partir da perspectiva feminista e de gênero.

Instituto Promundo: organização brasileira com escritórios no Rio de Janeiro, Estados Unidos, Portugal e Ruanda, que trabalham em colaboração para atingir sua missão de promover masculinidades não-violentas e relações de gênero equitativas.

Instituto Noos: organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1994 e reconhecida como de Utilidade Pública Federal. O Noos tem por objetivo o desenvolvimento e a difusão de práticas sociais sistêmicas voltadas para a promoção da saúde dos relacionamentos nas famílias e nas comunidades. perfil

ECOS Comunicação em Sexualidade: organização não-governamental com 20 anos de atuação consolidada na defesa dos direitos humanos, com ênfase nos direitos sexuais e direitos reprodutivos, em especial de adolescentes e jovens, com a perspectiva de erradicar as discriminações relativas a gênero, orientação sexual, idade, raça/etnia, existência de deficiências, classe social.

EME Masculinidades y Equidade de Género: área de la Fundación CulturaSalud (Chile) dedicada a la investigación y la intervención psicosocial con hombres y equidad de género.

ReHuNa – Rede de Humanização do Parto e do Nascimento: organização da sociedade civil com atuação em todo o Brasil fundada em 1993, com o objetivo principal de divulgar a assistência e cuidados perinatais com base em evidências científicas.

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC): entidade nacional que congrega médicos que atuam em postos e outros serviços de Atenção Primária em Saúde, prestando atendimento médico geral, integral e de qualidade a indivíduos, famílias e comunidades. Inclui também professores, preceptores, pesquisadores e outros profissionais que atuam ou estão interessados nesta área.

Núcleo de Pesquisa em Gênero e Masculinidades Gema/UFPE: Fundado em 1998, o Gema tem por objetivo desenvolver ensino, pesquisa e extensão universitária, a partir do enfoque feminista de gênero, atuando no campo da saúde e direitos humanos, especialmente em temas relativos aos direitos sexuais e reprodutivos.

Núcleo Margens: Modos de vida, família e relações de gênero/UFSC

Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos CLAM/UERJ: tem como finalidade principal produzir, organizar e difundir conhecimentos sobre a sexualidade na perspectiva dos direitos humanos, buscando, assim, contribuir para a diminuição das desigualdades de gênero e para o fortalecimento da luta contra a discriminação das minorias sexuais na região.

Campanha Brasileira do Laço Branco: tem por objetivo sensibilizar, envolver e mobilizar os homens em ações pelo fim de todas as formas de violência contra a mulher, atuando em consonância com as ações dos movimentos de mulheres, feministas e de outros movimentos organizados em prol da equidade de gênero e justiça social.

Campanha Diálogos: Gênero Saúde e Cidadania - Trabalhando com homens e mulheres em contextos de grandes obras.

Campanha Machismo Não Combina com Saúde: Instituto PAPAI

MenEngage: rede global de organizações da sociedade civil, comprometida em engajar homens e meninos para a promoção da igualdade de gênero. A rede busca incentivar a colaboração entre organizações no âmbito nacional, regional e internacional para o desenvolvimento de programas e advocacy que promovam a inclusão do tema homens e masculinidades nos esforços para a promoção da igualdade de gênero.

MenCare: uma campanha mundial sobre a paternidade.

Intercâmbios: aliança interamericana de organizações não-governamentais e indivíduos comprometidos com a prevenção da violência de gênero na América Latina. A aliança aborda o tema como uma questão de saúde pública e de Direitos Humanos. Entre as ações, estão incluídas capacitações técnicas, estratégias de advocacy, pesquisas e disseminação de conhecimentos e boas-práticas relacionadas ao tema.

Red Iberoamericana y Africana de Masculinidades

Fortalecimento da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem: compromisso versus ação na atenção básica (Ministério da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz e Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, 2013).

Perfil da Situação de Saúde do Homem no Brasil (Ministério da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz e Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, 2012).

Plano de Ação Nacional 2009 – 2011 (Ministério da Saúde/Secretaria de Atenção à Saúde/Departamento de Ações Programáticas/Área Técnica de Saúde do Homem).

Cadernos HumizaSUS – Volume 4 – Humanização do Parto e do Nascimento (Ministério da Saúde e Universidade Federal do Ceará, 2014)

Vigitel - Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico/VIGITEL (Ministério da Saúde, 2013).

Boletins informativos do INCA sobre detecção precoce do câncer de próstata:
http://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2018/03/Informativo-C%C3%A2ncer-de-Pr%C3%B3stata-2017.pdf
http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/Informativo_Deteccao_Precoce_2_agosto_2014.pdf

Agenda de ações estratégicas para redução da sífilis no Brasil

Marco Legal da Primeira Infância

Avanços do marco legal da primeira infância

Programa P

Portaria que cria o procedimento consulta PNP

 

 

Fim do conteúdo da página