Ir direto para menu de acessibilidade.

Banner MosquitoNao 960x100px

Início do conteúdo da página

Vigilância em Saúde

Efeitos à Saúde Humana

Publicado: Sexta, 25 de Agosto de 2017, 15h30

Segundo a International Agency for Research on Cancer (IARC), o amianto é comprovadamente cancerígeno para humanos e todas as suas variedades representam riscos à saúde. Desse modo, a inalação de fibras de amianto provoca doenças que se desenvolvem em longo prazo, mesmo que a exposição tenha sido interrompida. Em muitos casos, essas doenças são incuráveis e o tratamento médico consiste de paliativos para reduzir a dor e aliviar sintomas.

A principal forma de exposição ao amianto é através do trabalho em processos envolvendo essas fibras: extração, armazenamento, transporte, manipulação, industrialização, entre outros. Além disso, são potencialmente expostos os trabalhadores que entram em contato indireto com as fibras, como no comércio, nas oficinas mecânicas e na construção civil. O amianto, portanto, é um dos agentes ocupacionais mais estudados no mundo e está relacionado a um grande número de doenças e mortes em vários países. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que um a cada três cânceres ocupacionais possui histórico de exposição ao amianto.

Outro modo de exposição humana é o contato com o meio ambiente contaminado graças à dispersão aérea de amianto. Por serem muito finas e leves, as fibras de amianto são capazes de percorrer grandes distâncias, sendo possível o contato com elas muito tempo após sua liberação e em local relativamente distante da fonte. A exposição ambiental ao amianto ocorre, então, nas seguintes situações:

  • Residência próxima a fábricas, minas, depósitos e outras áreas contaminadas por amianto;
  • Contato de familiares com roupas e objetos de trabalhadores que foram contaminados por amianto durante o expediente;
  • Contato com ambientes onde haja produtos de amianto degradados;
  • Contato com o amianto livre na natureza.

Embora parte das fibras de amianto inaladas seja eliminada através da tosse e do muco, aquelas que penetram porções mais profundas do trato respiratório podem ficar retidas, jamais sendo eliminadas do organismo e causando problemas de saúde. No tocante à exposição através da ingestão de amianto, existem poucos estudos conclusivos sobre os efeitos da saúde atualmente.

As doenças relacionadas de modo mais contundente ao amianto são a asbestose, os mesoteliomas e as placas pleurais. Além dessas, há outros cânceres, como os de brônquios, pulmão, estômago, laringe; e os derrames pleurais. As características dessas doenças estão relacionadas no Quadro 2:

Quadro 2 – Características das doenças relacionadas ao amianto.

Doença

Tempo estimado de desenvolvimento da doença

Sinais e Sintomas

Asbestose

A partir de 10 anos

  • Endurecimento do tecido pulmonar;
  • Falta de ar;
  • Cansaço;
  • Perda de peso;
  • Pneumonia recorrente.

Mesotelioma

De 20 a 50 anos

Mesotelioma pleural:

  • Falta de ar;
  • Tosse;
  • Sudorese excessiva;
  • Fadiga;
  • Perda de peso;
  • Dificuldades na deglutição.

Mesotelioma peritoneal:

  • Dor abdominal;
  • Inchaço abdominal;
  • Perda de peso;
  • Náusea e vômitos.

Mesotelioma do pericárdio:

  • Dor no tórax;
  • Falta de ar.

Placas Pleurais

A partir de 20 anos

  • Espessamento da pleura;
  • Dor no peito.

Derrame Pleural

A partir de 10 anos

  • Falta de ar;
  • Cansaço;
  • Dor no tórax;
  • Elevação entre as costelas.

Câncer de Pulmão

A partir de 25 anos

  • Tosse;
  • Sangramento pelas vias respiratórias;
  • Dor no tórax;
  • Falta de ar.

Outros cânceres (estômago, laringe, etc).

Diversos

Diversos

registrado em:
Fim do conteúdo da página