Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Vigilância em Saúde

Mercúrio

Escrito por Alessandra Bernardes | Publicado: Sexta, 25 de Agosto de 2017, 14h22 | Última atualização em Segunda, 28 de Agosto de 2017, 18h16

O mercúrio é um elemento químico da classe dos metais pesados que pode assumir diferentes formas químicas:

  • Mercúrio metálico: é um metal prateado líquido e volátil, capaz de produzir vapores inodoros e incolores à temperatura ambiente. É a forma mais pura do mercúrio, também conhecida como mercúrio elementar.
  • Mercúrio inorgânico: tipo de mercúrio presente nos sais obtidos através de sua combinação com outros elementos, como cloro, oxigênio e enxofre. Os sais mais comuns são o sulfeto de mercúrio (II), cloreto de mercúrio (I e II) e acetato de mercúrio (II).
  • Mercúrio orgânico: presente emcompostos resultantes da combinação entre mercúrio e cadeias de carbono. Aqui se destaca o metilmercúrio, obtido através da biotransformação de mercúrio inorgânico por micro-organismos.

As emissões de mercúrio  para o meio ambiente podem ser naturais ou antropogênicas. As emissões naturais decorrem de transformações da crosta terrestre, das atividades vulcânicas e da evaporação de corpos d’água. Já as antropogênicas ocorrem através da extração do mercúrio e seu emprego em atividades econômicas pelo homem (Quadro 1).

Quadro 1 – Principais Aplicações e Fontes de Mercúrio

Principais Aplicações do Mercúrio

Eletroeletrônica

Lâmpadas fluorescentes e de vapor de mercúrio, pilhas, baterias e componentes elétricos.

Metrologia

Barômetros, higrômetros, termômetros e manômetros.

Medicina

Esfigmomanômetros, termômetros, amálgamas dentárias e conservantes de vacinas (timerosal).

Agricultura

Agrotóxicos.

Indústrias

Petroquímica, Cloro-Soda, Bélica, Papeleira e Farmacêutica.

Atividades

Extração de primária de mercúrio, Mineração de ouro e Geração de Energia (queima de combustíveis fósseis).

 

As emissões antropogênicas de mercúrio provocam desequilíbrios ambientais, especialmente quando da disposição inadequada dos resíduos industriais. Os micro-organismos presentes nas áreas contaminadas convertem os resíduos de mercúrio inorgânico em metilmercúrio, que é capaz de se acumular ao longo das cadeias alimentares. Desse modo, os animais do topo da cadeia alimentar, entre eles o homem, acumulam altos teores de metilmercúrio à medida que se alimentam de seres contaminados, podendo vir a desenvolver problemas de saúde (Figura 1). 

Figura 1 – Acumulação de mercúrio ao longo da cadeia alimentar

 

Episódios de Contaminação Ambiental por Mercúrio

Entre os casos de contaminação ambiental por mercúrio, os episódios de Minamata e do Iraque são emblemáticos devido à magnitude dos danos provocados à saúde humana:

  • Minamata (1950-1960): oepisódio mais conhecido sobre os efeitos deletérios da exposição ao mercúrio ocorreu na Baía de Minamata, no Japão, onde uma empresa despejou toneladas de resíduos. Em virtude disso, dezenas de pessoas que se alimentaram com peixes contaminados da Baía morreram e outras centenas adquiriram deficiências físicas permanentes.
  • Iraque (década de 1970): esse episódio ocorreu devido à ingestão acidental de sementes de trigo para o plantio que haviam sido tratadas com antifúngico à base de mercúrio. Como consequência, foram registrados cerca de 7.000 casos de envenenamento por mercúrio e mais de 450 mortes.
registrado em:
Fim do conteúdo da página