Ir direto para menu de acessibilidade.

Vacinação

Início do conteúdo da página

Vigilância em Saúde

Mercúrio no Brasil

Escrito por Alessandra Bernardes | Publicado: Sexta, 25 de Agosto de 2017, 15h20 | Última atualização em Segunda, 28 de Agosto de 2017, 10h07

O Brasil não apresenta fontes naturais de mercúrio, pois o cinábrio vermelho, minério mais utilizado para extração comercial dessa substância, ocorre somente em locais de atividade vulcânica recente. Em face disso, todo o metal utilizado no país é importado e sua comercialização é controlada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, IBAMA.

A distribuição do mercúrio pelo território brasileiro é bastante variável. Na região sul, as usinas termoelétricas a carvão emitem mercúrio em forma de vapor e cinzas. No sudeste, as indústrias químicas e eletroeletrônicas geram resíduos de mercúrio. No nordeste, há petroquímicas e refinarias, enquanto o centro-oeste e o norte se destacam pela mineração. Além disso, os produtos acabados contendo mercúrio são comercializados em todo o país.

Por muito tempo se acreditou que os níveis elevados de mercúrio na Região Amazônica eram oriundos do garimpo do ouro nas décadas de 80 e 90. No entanto, dados geológicos atuais indicam que a maior parte do mercúrio amazônico seria natural, estando presente em áreas que sequer foram exploradas pelo garimpo.

Estudos realizados nos rios Tapajós, Negro e Madeira encontraram elevados teores de mercúrio nas populações ribeirinhas, cuja dieta é à base de peixes. Embora alguns indivíduos expostos tenham desenvolvido alguns sinais ou sintomas de intoxicação por mercúrio, ainda não foram caracterizados quadros da Doença de Minamata no Brasil.

registrado em:
Fim do conteúdo da página