Ir direto para menu de acessibilidade.

Vacine-se

Início do conteúdo da página

Vigilância de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT)

Situação Epidemiológica - Dados

Escrito por alexandreb.sousa | Publicado: Quinta, 27 de Março de 2014, 15h30 | Última atualização em Quarta, 28 de Fevereiro de 2018, 17h29

As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são a principal causa de mortalidade na maioria dos países do mundo e no Brasil. Em 2013, após efetuar a correção para sub-registro e a redistribuição das causas mal definidas de óbitos, observou-se que 72,6% do total de óbitos registrados no país foram por DCNT e, dentre esses, 79,4% foram devido às quatro principais DCNT: doenças cardiovasculares, neoplasias, doenças respiratórias crônicas e diabetes mellitus, cujos percentuais podem ser observados no gráfico abaixo:

Gráfico 1 – Distribuição dos óbitos corrigidos por grupo de causas dentro do total de óbitos por DCNT no Brasil, em 2013.


Fonte: SIM/SVS/MS 2015. *Para mais informações sobre o método de correção dos óbitos, consulte a nota técnica do Busca Ativa.

Com base na variação temporal da taxa de mortalidade por essas principais DCNT no período de 2000 a 2013, observa-se redução de 2,5% ao ano na mortalidade por esse grupo de doenças, com destaque para as doenças respiratórias crônicas (-4,12% ao ano) e doenças cardiovasculares (-3,35% ao ano), conforme gráfico:

Gráfico 2 – Taxa de mortalidade por DCNT padronizada e corrigida por 100.000 habitantes, para Brasil, no período de 2000 a 2013.


Fonte: SIM/SVS/MS 2015. *Para mais informações sobre o método de correção dos óbitos, consulte a nota técnica do Busca Ativa.

Os gráficos abaixo apresentam a prevalência dos fatores de risco e de proteção para DCNT, bem como dados de excesso de peso e obesidade, na população adulta brasileira, segundo dados do Vigitel 2014.

Gráfico 3 – Prevalência (%) dos fatores de risco na população adulta, de acordo com o sexo, segundo Vigitel, capitais brasileiras, 2014.


Fonte: Vigitel/SVS/MS, 2014.

Gráfico 4 – Prevalência (%) dos fatores de risco na população adulta, de acordo com a faixa etária, segundo Vigitel, capitais brasileiras, 2014.


Fonte: Vigitel/SVS/MS 2014.

Gráfico 5 – Prevalência (%) dos fatores de risco na população adulta, de acordo com a escolaridade, segundo Vigitel, capitais brasileiras, 2014.


Fonte: Vigitel/SVS/MS 2014.

Gráfico 6 – Prevalência (%) dos fatores de proteção na população adulta, de acordo com o sexo, segundo Vigitel, capitais brasileiras, 2014.


Fonte: Vigitel/SVS/MS 2014.

Gráfico 7 – Prevalência (%) dos fatores de proteção na população adulta, de acordo com a faixa etária, segundo Vigitel, capitais brasileiras, 2014.


Fonte: Vigitel/SVS/MS 2014.

Gráfico 8 – Prevalência (%) dos fatores de proteção na população adulta, de acordo com a escolaridade, segundo Vigitel, capitais brasileiras, 2014.


Fonte: Vigitel/SVS/MS 2014.

Gráfico 9 – Prevalência (%) de excesso de peso e obesidade, de acordo com o sexo, segundo Vigitel, capitais brasileiras, 2014.


Fonte: Vigitel/SVS/MS 2014.

Gráfico 10 – Prevalência (%) de excesso de peso e obesidade, de acordo com a faixa etária, segundo Vigitel, capitais brasileiras, 2014.


Fonte: Vigitel/SVS/MS 2014.

Gráfico 11 – Prevalência (%) de excesso de peso e obesidade, de acordo com a escolaridade, segundo Vigitel, capitais brasileiras, 2014.
Fonte: Vigitel/SVS/MS 2014.

Além dos dados recentes do Vigitel 2014, os dados de fatores de risco e proteção para DCNT, bem como sobre a situação geral de diversas DCNT no Brasil foram investigadas pela Pesquisa Nacional de Saúde, realizada em 2013, com dados para Brasil (área urbana e rural), UF e capitais. Os gráficos abaixo apresentam alguns desses dados:

Gráfico 12 – Prevalência (%) dos fatores de risco na população adulta, de acordo com o sexo, segundo PNS, Brasil 2014
Fonte: PNS/SVS/MS 2013 Volume I.

Gráfico 13 – Prevalência (%) dos fatores de risco na população adulta, por área urbana e rural, segundo PNS, Brasil 2014.
Fonte: PNS/SVS/MS 2013 Volume I.

Gráfico 14 – Prevalência (%) dos fatores de risco na população adulta, por Grandes Regiões, segundo PNS, Brasil 2013


Fonte: PNS/SVS/MS 2013 Volume I.

Gráfico 15 – Prevalência (%) dos fatores de proteção na população adulta, de acordo com o sexo, segundo PNS, Brasil 2013.


Fonte: PNS/SVS/MS 2013 Volume I.

Gráfico 16 – Prevalência (%) dos fatores de proteção na população adulta, por área urbana e rural, segundo PNS, Brasil 2013.
Fonte: PNS/SVS/MS 2013 Volume I.

Gráfico 17 – Prevalência (%) dos fatores de proteção na população adulta, por Grandes Regiões, segundo PNS, B|rasil 2013.
Fonte: PNS/SVS/MS 2013 Volume I.

Gráfico 18 – Prevalência (%) de excesso de peso e obesidade, de acordo com o sexo, segundo PNS, Brasil 2013.
Fonte: PNS/SVS/MS 2013 Volume III.

Gráfico 19 – Prevalência (%) de diagnóstico médico de DCNT autorreferido, para Brasil, segundo PNS, Brasil 2013 .
*DORT – Distúrbio Osteomolecular Relacionado ao Trabalho;
**AVC – Acidente Vascular Cerebral
Fonte: PNS/SVS/MS 2013 Volume I.

Qual a situação da sua localidade?
Aqui você pode ter acesso aos dados do Vigitel por todas as capitais, segundo sexo, escolaridade e faixa etária.
Aqui você pode ter acesso à nossa página da PNS para mais informações e link dos microdados de todos os volumes da Pesquisa Nacional de Saúde.

Outras fontes de dados:

Sala de Apoio a Gestão Estratégica (SAGE)

Rede Interagencial de Informações para a Saúde (RIPSA)

DATASUS

CIDs utilizados para as 4 principais DCNT

Fim do conteúdo da página